Sete estudantes da Universidade do Minho, em preparação para os Jogos Olímpicos foram, recentemente premiados com uma bolsa de Estudo, no Museu do Oriente.

Nuno Brito (Licenciatura em Biologia e Geologia, Andebol), João Peixoto (Licenciatura em Gestão, Atletismo), Mariana Machado (Mestrado Integrado em Medicina, Atletismo), Tânia Barros (Mestrado Integrado em Medicina, Karaté), Rafael Simões (Mestrado Integrado em Medicina, Natação), Joana Cunha (Mestrado em Engenharia Industrial, Taekwondo) e Júlio Ferreira (Mestrado Integrado em Arquitetura, Taekwondo) foram os distinguidos.

Júlio Ferreira, que conquistou recentemente a medalha de bronze na Universíada de Nápoles no passado mês de julho, assume que esta Bolsa de Educação é uma grande ajuda para continuar o seu percurso com maior tranquilidade e permite manter o foco na sua carreira desportiva e académica. “Para manter um nível alto temos que estar muito concentrados nas nossas principais atividades e este prémio é motivador pelo reconhecimento do nosso valor e pelo esforço que dedicamos à nossa carreira dual”, afirmou.

Joana Cunha, campeã europeia universitária em 2019, também enaltece a importância deste prémio. “Este tipo de apoios é muito importante para manter a nossa concentração naquilo que é a prática de desporto em alta competição e a frequência no ensino superior, duas atividades que requerem o nosso máximo, com elevada exigência. A taxa de atletas que abandonam os estudos diminuiu e estes prémios são uma excelente ajuda para todos aqueles que perseguem uma carreira dual com aproveitamento nas duas áreas”.

A cerimónia de entrega de Bolsas Jogos Santa Casa contou com a presença do Secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que afirmou haver “margem para progredir e para apoiar mais atletas”, ao mesmo tempo que lhes lançou um desafio: “que estudem e se dediquem ao desporto e ao treino de igual forma”.

O diretor do Departamento de Desporto e Cultura dos Serviços de Acção Social da Universidade do Minho, Carlos Videira, entende que esta iniciativa premeia os estudantes que mostram que o alto rendimento desportivo e os estudos superiores são mundos conciliáveis. E que as características que fazem um bom atleta são necessariamente as características que fazem um bom estudante. “A experiência da prática desportiva permite, através de um processo de aprendizagem muito próprio, perceber e interiorizar a importância de definir objetivos e lutar para os atingir, da valorização do mérito e do sucesso sustentado no trabalho árduo e contínuo, da prevalência do coletivo sobre o individual, do conhecimento e respeito pelos adversários, vencedores e vencidos. Na Universidade do Minho temos vários exemplos de estudantes atletas que conciliam o sucesso em ambas as vertentes, aliando percursos académicos em cursos extremamente exigentes com resultados desportivos de topo, com perspetivas de virem a alcançar presenças em Jogos Olímpicos”. Para o dirigente, estes atletas são o melhor cartão de visita do trabalho de promoção das carreiras duais que tem vindo a ser feito na instituição. “Somos uma verdadeira Academia de Campeões a todos os níveis”, concluiu.

Desde 2013, já foram atribuídas 271 Bolsas de Educação Jogos Santa Casa, num valor superior a 770 mil euros.