Vamos abordar mais uma modalidade fortemente implantada na cidade, com registos desde 1890 e prática assídua no rio Lima e na Praia do Cabedelo, a natação. A apetência pela náutica consubstanciava-se, no remo, vela e até canoagem, com rudimentares embarcações, de onde dimanava a natação.

Em 1898, um grupo de jovens vianenses funda o Clube Vianense, mais tarde Sport Clube Vianense, que vinha promovendo o desporto velocipédico e náutico, modalidades a que de pronto acrescentaram a velocipedia, esgrima, ginástica e o tiro.

As primeiras duas décadas da sua fundação foram destinada à criação das respetivas secções, salientando-se pelo seu dinamismo a velocipedia, a esgrima e a vida social, com passeios, bailes, conferências, exposições, recitais, inauguração da biblioteca e outras coisas mais. O S.C. Vianense era um clube elitista.

A náutica desenvolvia-se facilmente mercê do rio Lima (vela, remo e natação), com iniciativas de lazer e provas de competição entre agremiações e/ou grupos da região.
Em 1910, com a fundação do Viana Taurino Clube, que desde logo chamou a si várias modalidades, destacando-se a náutica, criou-se de imediato uma salutar concorrência entre as duas agremiações que foram decisivas para o desenvolvimento desportivo de Viana do Castelo. Criaram imediatamente escolas de aprendizagem e aperfeiçoamento da natação, constando o registo da primeira, na lingueta junto ao edifício do ISN, à entrada da doca dos pescadores da nossa Ribeira, tendo como responsável o Dr. José Vivo.

Em 1916 realizam diversas provas pelo VTC, com a participação de dezenas de nadadores, destacando-se nos 200 metros o Eng. João Valença (medalha de prata) e Dr. José Domingos Vivo, na prova de 500 metros.

Severino Costa, depois de se desligar do VTC, funda o Aviz Atlético Clube, com as secções de futebol e natação. Abraça a natação e na primeira prova em que participa pelo novo clube, no Porto, constituindo equipa com Albano de Oliveira e Domingos Teixeira, obtêm assinalável êxito.

Severino Costa torna-se um paladino da modalidade: Funda a delegação da Liga Portuguesa dos Amadores de Natação. Assume a organização dos primeiros Campeonatos de Portugal de Natação, disputados na Doca Comercial da nossa cidade que durante décadas haveria de ser a nossa piscina até aos anos 60, onde aprenderam a nadar milhares de jovens vianenses e donde saíram alguns campeões e campeãs.

Em 1924, integrado nas festas da Senhora d’Agonia, decorre uma festa náutica, na qual o SCV apresenta, em estreia, a sua equipa de Water-Polo defrontando o FCP. O programa contemplava ainda provas de natação de 50, 100, 150 e 300 metros para as categorias de aprendizes, principiantes, discípulos e juniores, a que, como habitualmente, assistiu numeroso publico.

Registe-se um feito curioso que envolveu a escola de natação do SCV que treinava na praia do Cabedelo, corria o ano de 1929, que o jornal A Aurora do Lima relatava assim: “Há dias – poucos – na praia do Cabedelo, um seminarista das Ursulinas, ao banhar-se, viu-se em perigo. Gritos. A Escola de Natação do Vianense, que treinava, lançou-se logo à água. E mercê do denodo de dois dos seus nadadores, conseguiu evitar uma morte eminente. Que os vianenses olhem para isto. Não nos cansamos de dizer: A seção de natação do Vianense é uma escola admirável de cultura física e filantropia.”

Em 1930, a escola de natação do Vianense participa em provas em La Guardia (Espanha) acedendo a um convite do S.C. Caminhense.
Luís Brito e Severino Costa asseguram a Escola de Natação do Vianense na Doca Comercial em 1933 renovando esse compromisso durante anos.

Escola de Natação
O S.C. Vianense filia-se na Federação Portuguesa de Natação em 1942 , passando a responsável pela secção o Dr. Ribeiro da Silva. O Vianense participa nos campeonatos nacionais em Espinho com nove atletas e nos campeonatos regionais na categoria de infantis, no Porto, vencendo as provas de 100 metros bruços e costas.

Para as escolas de natação, João Alves Cerqueira cede um barracão existente na Doca, que após alguns melhoramentos, serve de apoio à secção de natação.

Madalena Fonseca conquista o título de campeã regional dos 100 metros bruços, na Granja, vencendo as suas adversárias do FCP e do Salgueiros.

Em 1946, organizado pelo SCV, tem lugar um Festival de Natação com a participação dos Galitos da Foz e do CPN de Ermezinde, sob a orientação de José Aires, Joaquim Batista Alves e Amadeu Costa, que decorreu com brilhantismo. Merecem louvores os aludidos desportistas”.

Em 1947, A Aurora do Lima relatava: “à frente da Escola de Natação do SCV está Joaquim Batista e Amadeu Costa, dois elementos de valor, que com a sua assídua orientação têm conquistado adeptos na propaganda e e desenvolvimento da modalidade”. Os nadadores vianenses conquistaram sete títulos regionais.

No cinquentenário do clube, Joaquim Batista Alves, nadador de eleição do SCV que já representara o Sport Algés e Dafundo, instrutor da Escola de Natação e grande impulsionador e entusiasta da modalidade no seio do Clube é agraciado com a medalha de mérito e dedicação, depois homenageado em 1952 como instrutor e em 1954 elevado à categoria de sócio de mérito.

Em 1955, o SCV, sob orientação dos responsáveis, Batista Alves, Ribeiro da Silva, Amadeu Costa e Frederico Pinheiro, estabelece dois turnos na escola de natação, o primeiro para aperfeiçoamento e treinos e o segundo especialmente para aprendizagem, considerando as inúmeras inscrições verificadas.

Chega o ano de 1961, a direção do Vianense assume o compromisso da construção de uma piscina para o que foi aventada a hipótese de alienar algumas parcelas de terreno do Campo de Jogos, que sendo desnecessárias poderiam possibilitar a construção. Ao mesmo tempo demarca-se o terreno no “aterro”, atual parque da cidade, para o arranque da obra.
Em 1973, o SCV através do Departamento do Desporto Amador, da responsabilidade de Camilo Ferreira, coordenador, coadjuvado por Joaquim Ribeiro e Amândio Silva, inicia cursos de natação na piscina da FNAT (hoje INATEL), onde mais de uma centena de jovens aprendeu a nadar (uns) e aperfeiçoou a técnica (outros).

Com o Abril de 1974 outras portas se abriram para o desporto: Criação da Delegação da DGD, a construção de uma Piscina Municipal e o aparecimento de um clube (Escola Desportiva de Viana) alfobre de inúmeras modalidades a que a natação não podia ficar alheia. Registamos que o seu fundador, Eng. Val Rego, reuniu por diversas vezes com o Delegado da DGD para encontrar uma solução para a construção de piscina própria. Não obstante o nosso empenhamento, não conseguimos o seu desejo ainda que fosse considerado o pedido com classificação de 16.º na ordem de prioridades! A atividade do Clube tem sido de enorme dimensão, arrecadando títulos consecutivos quer regionais, quer nacionais, individuais e por equipas masculinos e femininos.

Em 2002, aparece o Viana Natação Clube que veio contribuir para o desenvolvimento e consolidação da natação em Viana do Castelo.

Amândio Passos Silva