Portugal entrou a vencer na Golden League europeia de voleibol ao bater, no Centro Cultural de Viana do Castelo, a Eslováquia por 3-0 (25-18, 25-22 e 25-18), na segunda jornada da “pool” A.

Na estreia do novo selecionador, João José, Portugal superiorizou-se com naturalidade em menos de uma hora e meia e está na luta para chegar à “final four”, que será disputada na Croácia (18 e 19 de junho).

O principal adversário deverá ser a Turquia, vencedora das duas últimas edições e que já vencera a Eslováquia por 3-0 na primeira jornada do grupo, seleção que Portugal defrontará num duplo confronto, primeiro em Viana do Castelo, na quarta-feira (21:00), e depois na Turquia, em 05 de junho (17:30). O grupo fecha em 08 de junho, com Portugal a deslocar-se à Eslováquia (19:30).

Numa partida sem grande história, porque Portugal foi quase sempre melhor, o jogo seguiu equilibrado no primeiro “set” até aos 15-15, mas depois Portugal tomou a dianteira aproveitando alguma desconcentração dos eslovacos, sobretudo na receção, contando ainda com um Lourenço Martins muito eficaz na rede.

No segundo “set”, o mais renhido da partida, e permitiu que a Eslováquia chegasse a estar a vencer por 6-3, altura em que João José pediu um desconto de tempo.

Portugal reequilibrou-se e, com o grande contributo de Marco Ferreira e Lourenço Martins, a partir dos 14-13 não deixou de liderar o marcador e voltou a vencer o segundo “set” (25-22).

No terceiro e último “set”, Portugal ficou com quatro pontos a partir dos 17-13, distância que geriu com alguma facilidade até ao fim, tendo o último ponto sido um serviço direto de Lourenço Martins.

Portugal procura repetir o feito de 2018, em que atingiu a “final four”.

O primeiro classificado desta “final four” irá disputar a Challenger Cup que, também em 2018, Portugal venceu, em Matosinhos, o que lhe permitiu disputar pela primeira vez a Liga das Nações em 2019.

A Challenger Cup reúne os representantes europeus com os vencedores das competições continentais disputadas sob a égide da NORCECA (América do Norte e Centro), AVC (Ásia) e o vencedor do “play-off” entre o vencedor da CSV (América do Sul) e da CAVB (África), bem como o organizador desta fase, num total de seis seleções.

Foto: Américo Dias