Arcos de Valdevez está no topo do volume de investimento apoiado em concelhos de baixa densidade na região Norte, no âmbito dos incentivos concedidos ao setor empresarial, no período de 2007 a 2017.

De acordo com a recente publicação da CCDR-N Dinâmicas dos Fundos Europeus na Região Norte”, Arcos de Valdevez surge como o concelho do Alto-Minho com mais projetos e volume de investimento apoiado, foram mais de 67 milhões de euros.

Aos projetos apoiados na região Norte, corresponde um volume de investimento de quase 700 milhões de euros, concentrando-se mais de 1/3 deste valor nos concelhos de Arcos de Valdevez, Bragança e Mesão Frio. A maior dinâmica de financiamento incidiu sobre setores exportadores como o turismo, o automóvel, a metálica e o alimentar.

Em Arcos de Valdevez a categoria setorial dominante é a indústria Metálica, que representa um dos setores mais dinâmicos e exportadores do concelho e da região do Alto-Minho.

Os Sistema de Incentivos com maior número de projetos apoiados foram a Qualificação e Internacionalização de PME e Inovação Empresarial.

Para esta dinâmica tem contribuído uma vigorosa política municipal de estímulo ao investimento, que vai desde a disponibilização de espaços industriais a custos competitivos ao lançamento de um conjunto de incentivos económicos e fiscais, que permitiram que empresas tecnologicamente avançadas e exportadoras se instalassem no concelho, nomeadamente nos setores automóvel, aeronáutica, mecânica, metalomecânica e plásticos.

 

Para o Presidente da Câmara Municipal a “atração e fixação de investimento é indispensável ao desenvolvimento económico, à criação de emprego e rendimento e à melhoria da qualidade de vida em Arcos de Valdevez”.