“As Cidades e a Logística”, que aconteceu no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, numa organização da APLOG – Associação Portuguesa de Logística contou com a participação de Luís Nobre. 

Na sua intervenção, no painel “Mobilidade Urbana / Cidades Inteligentes”, o autarca vianense recordou que, em Viana do Castelo, a transformação das ruas em zonas pedonais é um processo que pretende reverter a excessiva quantidade de carros nas cidades, procurando devolver ao peão e ao cidadão um espaço habitável. Esta decisão foi tomada tendo em vista a redução da poluição e do ruído, o aumento da segurança e a redução de acidentes, o aumento de estilos de vida saudável e a promoção do comércio local e do turismo.

Luís Nobre defendeu que as medidas de restrição automóvel no centro histórico de Viana do Castelo foram graduais ao longo do tempo, com vista a criar hábitos e não constrangimentos a quem vive, consome ou visita o centro histórico. Para tal, a circulação na zona central da cidade está condicionada ou proibida à circulação de trânsito, exceto de transportes de mercadorias. 

O autarca reconheceu que a retirada e a diminuição do trânsito no centro histórico da cidade estendeu-se gradualmente a muitas ruas de forma sustentável, num investimento público de 6 milhões de euros, ao mesmo tempo que foram criadas opções para o aparcamento de carros. Existem, na cidade, mais de 10 parques de estacionamento a circundar o centro histórico, sendo dois gratuitos (Parque do Gil Eannes e da Pousada da Juventude) e outro a preços reduzidos (Parque de Estacionamento do Campo d’Agonia). No total, existem 4.068 lugares nos parques de estacionamento da cidade e, em momentos pontuais, há ainda um reforço dos lugares existentes para dar resposta imediata ao aumento da procura.

Luís Nobre considerou que o crescimento harmonioso das ruas pedonais no centro histórico, associado a um bom planeamento urbanístico da cidade, tem permitido otimizar e transformar serviços, vias e instituições, afirmando Viana do Castelo como uma cidade inteligente.

O presidente da Câmara recordou ainda o investimento que tem sido feito no reforço da rede de infraestruturas entre os diferentes polos industriais, nomeadamente com o projeto do novo acesso rodoviário do Vale do Neiva ao Nó da A28, projeto da nova travessia do Rio Lima entre EN 203 – Deocriste e EN 202 – Nogueira, bem como o novo acesso ao Porto de Mar.

Luís Nobre afirmou que está em desenvolvimento um Plano de Ação para Mobilidade Urbana Sustentável e, para o futuro, quer reforçar a aposta na transição para os Modos de Mobilidade Suaves e o reforço da cidadania/proximidade com a população.