A Câmara Municipal de Esposende emitiu, esta tarde, um comunicado, onde fala que o processo de licenciamento da habitação afetada por uma derrocada “decorreu com normalidade”.

“Trata-se de uma habitação licenciada, inserida numa operação de loteamento datada de 1994, constituída por 14 Lotes, sendo que o lote em causa é o número nove que dispõe de autorização de utilização, sendo que a área derrocada se encontra parcialmente dentro da delimitação do mesmo lote”, refere fonte municipal.

“O processo de licenciamento desta habitação decorreu com normalidade, desconhecendo-se a existência de qualquer reclamação apresentada pelo proprietário desta habitação quanto a eventuais situações que pudessem pôr em perigo a mesma”.

O Município de Esposende garante que prestou todo o apoio, “tendo deslocado para o local diversos meios, da Proteção Civil, disponibilizando apoio psicológico aos familiares das vítimas e aos moradores daquele lugar”.

Na sequência da derrocada, foi jovens, de 22 anos perderam a vida, tendo outros quatro moradores da habitação escapado ilesos.

Nas operações de Socorro estiveram envolvidos 17 meios e um total de 33 operacionais, além de cinco engenheiros da Universidade do Minho e dois do Município de Esposende, dois psicólogos do Município de Esposende, dois topógrafos e um veterinário da autarquia esposendense, devido à existência de animais domésticos nas habitações em perigo.