A Câmara Municipal de Caminha apresentou esta manhã à imprensa o Programa Cultural Verão 2020 para o concelho. Trata-se de um programa “arrojado”  e adaptado às imposições da DGS, que pretende “resgatar a cultura para o nosso concelho” e mostrar que Caminha é “um destino de confiança.

“Nós não devemos ficar fechados em casa. Essa não é a solução neste momento. Nós temos de abrir as portas das nossas casas; abrir as portas das nossas lojas, dos nossos hotéis e abrir as nossas ruas. É isso que vamos fazer com a programação cultural. Lançar atividades, promover o nosso território, dar conteúdos às pessoas que vem visitar o nosso território e atrair as pessoas para aqui estarem dentro das condições da DGS”, acrescentou o autarca Miguel Alves.

O presidente da Câmara sublinhou que vamos ter no concelho a mesma marca, em tempos diferentes: “há eventos típicos do concelho de Caminha que acontecem no verão que são impossíveis de manter, como são os casos do Festival do Espadarte, Festival de Vilar de Mouros e festas e romarias”, acrescentando: “mas há outros que vão acontecer de forma diferente, que permitirá manter acesa uma chama que nos levará para as próximas edições, são os casos do Artbeerfest e da Feira Medieval”. Enfatizou ainda que as festas religiosas como a Romaria de São João d’Arga, Festa de Nossa Senhora da Bonança, Santa Rita de Cássia, São Bento, Nossa Senhora ao Pé da Cruz não se vão realizar com a dinâmica habitual, mas serão apoiadas as celebrações religiosas.

Miguel Alves destacou o dia 08 de julho, dia em que se assinala o 96.º aniversário de elevação de Vila Praia de Âncora. O Município vai marcar a data com o espetáculo “Centenário de Amália Rodrigues”, com Pedro Miguel Nunes, Artur Caldeira e Daniel Paredes, que terá lugar no Cineteatro de Vila Praia de Âncora, pelas 21h30.

Outro dos eventos que vai decorrer de forma diferente é a Arte na Leira. Esta edição terá lugar de 20 de julho a 23 de agosto, na Casa do Marco, em Arga de Baixo, num formato mais reduzido.

A Feira Medieval vai ser lembrada no dia 24 de julho, Dia do Foral de Caminha, com a iniciativa Caminha Medieval “A organização do exército do rei em finais da Idade Média – algumas notas sobre o contributo de Caminha”, a cargo de Leandro Ribeiro Ferreira, investigador doutorado na Universidade do Porto e na Fundação para a Ciência e Tecnologia. No dia 25 de julho, Dia de Santiago, terá lugar uma caminhada com o historiador Joel Cleto.

Para além dos eventos acima referidos, o Programa Cultural Verão 2020 é composto por 10 projetos culturais que pretendem “resgatar o nosso quotidiano” e que são:

I – Biblioteca 4L, que consiste na leitura sobre rodas, ou seja, trata-se de um veículo cheio de livros onde vai ser possível requisitar livros e consultar jornais. Dentro deste projeto vão realizar-se a Feira do Livro Luso Galaica da Ribeira Minho (21/22/23 agosto, Caminha/A Guarda) e as atividades promovidas pelos Amigos da Biblioteca.

II – Cinema, com destaque para a programação do Cineteatro de Vila Praia de Âncora, com sessões todos os fins de semana de julho e agosto; a programação da Locus Cinemae a decorrer em Caminha e ainda duas sessões extraordinárias numa parceria com o Festival Cans e a exibição de um filme de uma jovem realizadora Caminha.

III – Teatro, com o acolhimento de companhias de teatro que vêm de todo o país e a estreia da peça Caldo Verde, protagonizada pela Krisálida, Associação Cultural do Alto Minho.

IV – Artes Plásticas com a Exposição Pedro Cabrita Reis (Fundação Serralves), que terá lugar de 7 de agosto a 28 de novembro, no Museu Municipal de Caminha. E as exposições que estarão patentes na Galeria de arte Caminhense.

V – Percursos Temáticos “à descoberta do nosso concelho” (julho / agosto / setembro) abertos mediante inscrição, que pretendem levar as pessoas para sítios que normalmente não iriam. Destacamos: Património histórico da Vila de Caminha; Casas de Caminha: casas inteiras ou meias casas; Rota das Tascas e visita a São João d’Arga; Passeios a cavalo (pelo monte, pela praia); Roteiros fotográficos; Passeios de jipe e Passeios de barco.

VI – 4 Quartas de Jazz (29 de julho, 5 de agosto, 12 de agosto e 19 de agosto) que levarão o jazz a Caminha, Vila Praia de Âncora e Moledo.

VII – Lar Sustenido, que consiste em levar a música aos lares do concelho nos meses de julho e agosto.

VIII – Drive In Vilar de Mouros, que decorrerá de 24 a 29 de agosto no recinto do festival. Este bloco consiste numa série de espetáculos, desde a música, ao cinema, passando por espetáculos para crianças, em que ninguém sairá do carro a não ser para zonas premium (frente ao palco / camarotes).

IX – Cultura de Rua composto por mais de 30 momentos surpresa, com o objetivo de surpreender as pessoas nas praças, nas ruas, nas praias. O Cultura de Rua vai ao encontro do público, “não queremos que o público venha ter connosco”, sublinhou Miguel Alves.

X – Vilas People é composto por 8 concertos de qualidade, que cumprirão todas as normas da DGS. O Vila People arranca a 18 de julho, com Tiago Bettencourt toca Dylan, Muralhas de Caminha e termina a 12 de setembro, em Vila Praia de Âncora, com Toy toca Elton John. Pelo meio, temos nos dia 25 de julho, Legendary Tigerman, no Dólmen da Barrosa, em Vila Praia de Âncora; no dia 01 de agosto, Uxía, no Largo Calouste Gulbenkian, Caminha; no dia 08 de agosto, a Banda do Filme “Variações” toca António Variações, no Forte da Lagarteira, em Vila Praia de Âncora; no dia 15 de agosto, Nataly Tamargo e Francisco Presa, Largo Dr. Luís Fetal Carneiro, em Caminha, no dia 21 de agosto, Elsa Gomes, frente à Igreja Matriz, em Vila Praia de Âncora e no dia 22 de agosto, Daniel Pereira Cristo, no Largo da Matriz, em Caminha.