A Resulima é a empresa gestora do sistema multimunicipal de triagem, recolha selectiva, valorização e tratamento de resíduos urbanos do Vale do Lima e Baixo Cávado, envolvendo os municípios de Arcos de Valdevez, Barcelos, Esposende, Ponte da Barca, Ponte de Lima e Viana do Castelo. O conjunto destes concelhos detém 49% da empresa, sendo os restantes 51% detidos por uma empresa privada, a EGF.

A CDU opôs-se desde sempre à integração dos concelhos na empresa Resulima, alertando que visava preparar o caminho para a privatização deste serviço, que conduziria a aumentos de preços e à secundarização da qualidade do serviço e da missão de servir as populações.

Os dados mais recentes confirmam os alertas da CDU, tendo sido votado na reunião da Câmara Municipal de Viana do Castelo desta semana um aumento significativo das tarifas de resíduos para a população, os comerciantes e empresários, acentuando os problemas decorrentes do agravamento do custo de vida já sentidos por todos.

O presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo sustenta a proposta de aumentos das taxas com as decisões da Resulima, escondendo que é acionista da empresa e, tal como os restantes presidentes de Câmara, tem vindo a apoiar a estratégia desenvolvida pela Resulima, em prejuízo dos munícipes e das empresas destes concelhos.

A proposta de aumento das taxas foi aprovada e apenas mereceu a oposição da CDU, que se confirma como a força política empenhada na defesa dos serviços públicos, a força portadora de um projecto alternativo que tem no centro das suas preocupações a qualidade de vida, o interesse das populações e o desenvolvimento e progresso dos concelhos.

A CDU reafirma a sua oposição a todo este processo e reclama a reversão deste caminho de privatização, com a reconstituição dos serviços municipais de recolha de resíduos e o aprofundamento da relação intermunicipal que não tenha no centro das prioridades o interesse dos privados, mas sim o serviço público, a qualidade de vida e o desenvolvimento dos concelhos e da região.