O comité executivo das Cidades Atlânticas reuniu hoje, através dos meios digitais, para preparar a próxima Assembleia Geral, a acontecer em Viana do Castelo no dia 12 de julho. O encontro serviu também para apreciação do concurso Atlantic Heritage City.

Na próxima Assembleia Geral será debatido o Corredor Atlântico Europeu, num encontro que contará com a presença do coordenador europeu para este projeto de ligação ferroviária da fachada atlântica norte. Será também discutida a importância das Cidades Atlânticas e a conetividade no reforço da coesão territorial e na dinamização das atividades portuárias associadas.

Refira-se que as Atlantic Cities defendem a importância do Corredor Atlântico Europeu para a Coesão Europeia. Este corredor estabelece a ligação entre os portos marítimos de Sines, Setúbal, Lisboa, Aveiro e Leixões, em Portugal, Algeciras, Bilbao e Pasajes, em Espanha, Baiona, Nantes, La Rochelle e Le Havre, assim como aos portos fluviais de Bordéus, Rouen e Strasburgo, em França. Da mesma forma, permite ligar as capitais dos parceiros, Lisboa, Madrid e Paris ao leste de França, a Mannheim e subsequentemente às regiões norte e oriental da Europa. Está, ainda, ligado ao Corredor Mediterrâneo em Madrid e Saragoça (Espanha) e ao Corredor do Mar do Norte – Mediterrâneo em Paris e Metz (França).

O edil vianense, José Maria Costa, é Presidente da Rede das Cidades do Arco Atlântico, agora Cidades Atlânticas, entidade que foi criada em 2000 e que representa mais de 200 autoridades locais da costa atlântica europeia que se relacionam, diretamente, com as diversas instituições comunitárias, para a afetação de fundos estruturais da Comissão Europeia, do grupo URBAN do Parlamento Europeu e do Programa INTERREG Espaço Atlântico.