Desde as 00h de hoje, domingo, dia 31 de janeiro, que o controlo fronteiriço no Alto Minho e em todo o país voltou a fazer-se.

As passagens de Melgaço e Vila Nova de Cerveira estão totalmente encerradas, sendo permitido, mas com controlo passar durante as 24h na ponte nova de Valença, ou das 7h às 9h e das 18 às 20h, nos dias úteis, na ponte entre Monção e Salvaterra do Minho.

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Rio Minho vai “contestar pelas formas legais ao seu alcance”, o encerramento de três pontes entre o Alto e a Galiza, pelo “interesse superior dos trabalhadores transfronteiriços”.

“O AECT Rio Minho está completamente em desacordo com a medida governamental de encerramento de três pontes sobre o rio Minho, publicada num despacho do Ministério da Administração Interna (…). Consensualizadas pelos problemas causados por esta medida, as autarquias afetadas vão contestar estes encerramentos pelas formas legais ao seu alcance, em interesse superior dos trabalhadores transfronteiriços”, refere aquele organismo em comunicado.

Fernando Nogueira, presidente do AECT e também autarca da Câmara de Vila Nova de Cerveira, lamentou que o Governo não tenha “retirado ilações” do primeiro encerramento em março.

“Não descurando a necessidade desta medida de controlo terrestre das fronteiras para combater a grave situação epidemiológica que vivemos, não é potenciando o efeito funil num único ponto de apoio que o problema será minimizado. Além de que os horários de abertura parcial estipulados para a ponte internacional entre Monção e Salvaterra do Miño também não servem os trabalhadores transfronteiriços que desempenham funções por turnos diferenciados”, sustentou o responsável.

Em março, durante o primeiro confinamento geral, foi reposto o controlo de fronteiras entre Portugal e Espanha. No Alto Minho havia apenas a passagem por Valença-Tui.

Os autarcas dos dois lados do rio Minho, Portugal e Espanha, fizeram vários protestos e ao fim de algum tempo foi permitida a abertura das pontes que ligam o concelho de Melgaço a Arbo, Monção a Salvaterra do Miño, e Vila Nova de Cerveira a Tomiño.