Com a ambição de ser reconhecido como o Grupo financeiro de referência nos temas da sustentabilidade no mercado nacional, o Crédito Agrícola actualizou a sua visão: “tornar-se uma referência de inclusão, sustentabilidade e inovação, mantendo o reconhecimento de Grupo Financeiro de confiança dos Portugueses”, e criou a sua Política de Sustentabilidade, uma vez que os temas ambientais, sociais e de governação são cada vez mais relevantes para a gestão do risco do Crédito Agrícola, para os seus clientes, para as comunidades locais e para a população mais jovem.

 

Desta forma, o Crédito Agrícola pretende contribuir para o progresso económico e social das regiões, praticando uma banca de proximidade, de forma sustentável. Uma relação estabelecida com base nos valores cooperativos do Grupo: solidez, proximidade, confiança e simplicidade.

 

Esta Política de Sustentabilidade do Banco irá materializar-se no desenvolvimento de empréstimos e obrigações verdes, na promoção da linha de crédito para a eficiência energética e economia circular, e na criação de outras linhas de financiamento destinadas a financiar acções que reduzam o impacto ambiental e as emissões de CO2.

 

Gradualmente, serão incorporados critérios ambientais e sociais na concessão de crédito que irão privilegiar projectos que sejam mais sustentáveis, reduzindo gradualmente o investimento em empresas ou actividades que claramente não se estão a adaptar à neutralidade carbónica e à economia circular.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Iremos seguir as orientações da Comunidade Europeia relativas às actividades ambientalmente sustentáveis e, nesse sentido, iremos solicitar aos nossos clientes e a quem nos procura, um conjunto de informação de carácter ambiental, social e de governação, relativa às actividades para as quais necessitam de financiamento. Passaremos a privilegiar projectos sustentáveis”, explica Licínio Pina, presidente do Grupo Crédito Agrícola.

 

Para o Crédito Agrícola, sustentabilidade significa promover o desenvolvimento sustentável das comunidades locais, através da criação de um conjunto de produtos financeiros que apoiem os clientes na redução do impacto ambiental e social negativo, e na identificação de novas oportunidades de negócio mais verdes, mais circulares e mais respeitadoras da dignidade humana. O Grupo reconhece que é seu dever contribuir para a preservação dos ecossistemas, para a redução na produção de resíduos e do impacto das alterações climáticas, e combater as desigualdades sociais.

 

“Acreditamos que esta nova Política de Sustentabilidade, muito ambiciosa mas alinhada com as políticas nacionais, europeias e mundiais ao nível da neutralidade carbónica e dos Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, tornará o Crédito Agrícola ainda mais próximo dos desejos e das aspirações da sociedade, principalmente dos mais jovens, para os quais a qualidade ambiental é fundamental para o seu bem-estar”, refere Licínio Pina.

 

“Estando a génese do Grupo no sector agrícola, próximo da natureza, reconhecemos a importância dos ecossistemas, do uso eficiente dos recursos, a urgência no combate às alterações climáticas e à desigualdade, como temas prioritários. Acreditamos que só respeitando os limites do planeta, conseguiremos atingir uma prosperidade que garanta o bem-estar da sociedade”, conclui o presidente do Grupo Crédito Agrícola.

 

Após o empenho e acordo de todo o Grupo para com este reconhecimento, o Crédito Agrícola define os seus compromissos para com a Sustentabilidade na Política de Sustentabilidade do Grupo CA, integrando as considerações ambientais, sociais e de governação na análise de risco dos investimentos realizados, nos produtos financeiros disponibilizados e nos empréstimos que concedidos.