Domingo, às 21h30, a sala principal do Teatro Sá de Miranda recebe O Circo Rataplan Apresenta: A Farsa do Mestre Pathelin. A primeira produção realizada em parceria com o Teatro do Noroeste- CDV e o Teatro da Comuna abre o Festival de Teatro, que decorre até ao dia 18 de novembro.

“Os nossos atores tiveram em Lisboa a trabalhar com o Teatro da Comuna, temos dois músicos extraordinários e o mestre João Mota, que é reconhecidamente um dos maiores vultos  do ensino do teatro, e não apenas da criação e da encenação e um grande pedagogo”, referia antes do Ensaio da Imprensa, que decorreu ao final da tarde de hoje, o responsável pelo Teatro do Noroeste. Ricardo Simões enaltece ainda a participação do próprio encenador, João Mota, na peça. Algo que nas últimas duas décadas aconteceu, certamente, apenas duas vezes. “Quem quiser aproveitar é vir no domingo ver esse grande monstro do teatro”, deixou o convite.

A peça é um texto francês do século XV e trata da profissão de advogado “de uma forma muito graciosa e hilariante”. A encenação decidiu transformá-lo num circo. “Esta história é muito divertida”, dizia.

Para esta peça ainda há bilhetes disponíveis, mas Ricardo Simões diz que há alguns espetáculos já esgotados.

No dia 11, segunda-feira, é apresentado na sala principal , às 21h30, o espetáculo musicado BOCAge, inspirado na vida e obra do poeta Manuel Maria Barbosa do Bocage, com texto de Sandra José, encenação de João Ascenso e interpretação de Rita Ribeiro, Sandra José e Mafalda Rodrigues.

Na terça-feira, dia 12, às 14h30 e às 18h30, no café concerto, é apresentada a criação Rottweiler, com texto de Guillermo Heras, tradução de Alexandra Moreira da Silva, encenação de Ricardo Simões e interpretação de Alexandre Calçada e Tiago Fernandes, que se encontra em digressão em Portugal e Espanha. No mesmo dia 12, às 21h30, na sala principal , sobe à cena o espetáculo Cartão de Embarque, da companhia de artes performativas Em Movimento, com encenação de Francisco Brás e Teresa Faria e Silva, numa criação que resulta do trabalho criativo desenvolvido no âmbito da atividade da APPACDM de Ponte de Lima., de Sevilha.

Pela primeira vez, o Festival tem espetáculos direcionados para os bebés. De Cá Para Lá, de Paulo Lage, é apresentado nos dias 16 e 17, às 11h, no Café Concerto.

Todos os espetáculos terão tradução simultânea em Língua Gestual Portuguesa (Gestu)conversa pós-espetáculo entre públicos e intérpretes (Digestivo), assim como estão disponíveis as iniciativas Ver Com As Mãos, caracterizada pela tateação do espaço cénico previamente ao início de cada espetáculo por parte de espetadores cegos e, também, as Sessões Descontraídas, que decorrem numa atmosfera mais tolerante relativamente a movimentações e ruídos vindos da plateia.

venda de passes e bilhetes começou a 08 de outubro e, uma vez mais, existe um Prémio para os espetadores mais assíduos, no caso, quem assistir a pelo menos oito espetáculos ganha a assinatura 2020 do Cartão CLAN – Clube de Amigos do Noroeste.