A Assembleia da República aprovou ontem, dia 16 de abril, a segunda renovação do Estado de Emergência, mas o PCP alterou o sentido de voto e votou contra. A terceira fase do estado de emergência começa às 00h do dia 18 de abril e termina às 23h59 do dia 02 de maio.

A proposta do Presidente da República de prolongar por mais 15 dias o Estado de Emergência foi aprovada com os votos a favor do PS, PSD, Bloco de Esquerda, CDS e a abstenção dos Verdes e do Chega. O PCP alterou o sentido e votou contra, tal como a deputada não inscrita, Joacine Katar Moreira. A Iniciativa Liberal manteve o voto contra.

O decreto presidencial prevê a abertura gradual de vários espaços comerciais. o primeiro-ministro afirmou que espera reabrir as creches já em maio. António Costa defendeu que, “em 46 anos de democracia, em 44 anos de Constituição, esta foi a primeira vez que foi necessário decretar o estado de emergência e renová-lo”.

O PCP considerou, que desde 19 de março, o Estado de Emergência foi desnecessário e desproporcional “no combate de saúde pública contra a epidemia” de Covid-19, anunciando o voto contra a sua renovação.