O jovem, que alegadamente, terá sido vítima de abusos sexuais do padre André Gonçalves afirmou, a dois órgãos de comunicação social, que mantem uma relação com o sacerdote, mas “houve total consentimento das duas partes”.

“Tudo o que aconteceu entre mim e o padre André Filipe Gonçalves foi com o consentimento dos dois, o que não deixa de constituir um problema para o sacerdote. Contudo, o mesmo confrontado com a denúncia admitiu o facto de se ter envolvido comigo e não, como referia o comunicado, ter abusado de mim”, disse o jovem, citado pela Alto Minho TV.

“O André pediu logo de imediato dispensa do sacerdócio. Todavia, D. João Lavrador insistiu, mesmo tendo o Ministério Público referido que o acontecido não era abuso, em publicar o comunicado referindo o sacerdote como pedófilo. Peço que a verdade seja reposta. Mais uma vez friso, tudo o que aconteceu entre mim e o André Filipe foi consentido, não me obrigou a nada!”, continua.