O candidato do Partido Socialista (PS) à Câmara de Viana do Castelo, Luís Nobre, anunciou hoje que pretende reconverter o edifício do antigo Matadouro Municipal, que em 2026 completa 100 anos, num espaço para ateliês e residências artísticas.

“Cumpre o objetivo de fixarmos talento no território e ao mesmo tempo recuperar um património histórico. Temos uma forte procura por artistas e criativos locais, nacionais e até internacionais, para os seus processos criativos, para mostrarem os seus trabalhos. Esta é a solução”, disse Luís Nobre.

O candidato do PS dedicou o dia de hoje, através de visitas temáticas, à “Cultura com identidade”, um dos nove eixos estratégicos da proposta eleitoral, que prevê globalmente 48 medidas para os 48 meses do próximo mandato autárquico.

A reconversão do edifício do antigo matadouro, que começou a funcionar na cidade em 05 de outubro de 1926 e que foi desativado há cerca de 30 anos, em Ateliers Municipais e Residências Artísticas, com salas para experimentação e ensaios artísticos, é uma dessas medidas concretas apresentas pelo candidato no seu programa, com o objetivo de fixar talentos no território.

“Precisávamos de um espaço com esta capacidade e as condições necessárias. Ali poderemos até ter uma área de apresentação de espetáculos e mostras artísticas”, explicou Luís Nobre, reconhecendo a crescente procura de artistas, para os seus processos de criação.

“Viana do Castelo é procurada porque é inspiradora no seu todo, pela paisagem, pelas gentes, pelas tradições, pela identidade, pela riqueza patrimonial e cultural também. No passado já foram equacionadas outras soluções, mas esta é de facto uma necessidade. O espaço é grande e está numa boa localização”, reconheceu.

Luís Nobre acrescentou que a estratégia, também nesta área, é mais ampla e passa por impulsionar em Viana do Castelo, no próximo mandato, a criação de polos culturais que respondam às necessidades das várias áreas artísticas. Nomeadamente, além da reconversão do edifício do antigo Matadouro Municipal, também a criação de Galeria Municipal de Arte Contemporânea no Centro Histórico.

“E temos também o projeto para a criação do Centro Interpretativo do Estuque, iniciando de seguida a classificação dos ‘Estuques e Estucadores’ como Património Municipal de Viana do Castelo”, revelou.

Ainda no eixo da “Cultura com identidade”, outra das 48 medidas para o mandato prevê a projeção dos principais e emblemáticos eventos culturais do concelho, que vão dos festivais de Metal e de Música eletrónica, reconhecidos internacionalmente, aos festivais de música na cidade, ao folclore e às festas, com destaque para a Romaria da Senhora d’Agonia, conciliando com o lançamento do novo Festival Multitemático “Viana 7 dias 7 Artes”.