A situação dos transportes públicos no distrito enfrenta graves problemas, que tendem a agravar-se, mesmo neste período de retoma da atividade. As questões da mobilidade das populações está em causa, com autocarros de empresas parados na garagem. Em alguns concelhos as situações mais urgentes são mitigadas, apenas, com viaturas das autarquias, segundo nos informaram.

O grupo Avic, o maior do distrito no setor, enfrenta também essas dificuldades e os seus responsáveis alertam as autoridades de transportes, a comunidade intermunicipal e os municípios para “os problemas” e “os dramas” que se estão a colocar e “aos quais não podem ficar indiferentes”. Os transportes públicos são essenciais para permitir a mobilidade das populações, nomeadamente por parte dos mais carenciados e isolados.

Neste momento, com o regresso à escola de alguns estudantes dos 11.º e 12.º anos, a fim de frequentarem as disciplinas de exame, houve, no caso concreto do concelho de Viana do Castelo, a adaptação/reforço nas linhas que mantiveram, de forma graciosa, durante o Estado de Emergência, desde meados de março: Carreço/Viana, Darque/Viana e Perre/Santa Marta/Viana.

O resto do concelho continua sem transportes públicos.