O Monsenhor Sebastião Pires Ferreira, vigário-geral da Diocese de Viana do Castelo, vai assumir funções de administrador diocesano, após a morte de D. Anacleto Oliveira. A decisão foi do Colégio de Consultores, que reuniu na noite de ontem.

A informação foi avançada pela agência Ecclesia que garante “a decisão foi tomada hoje pelo Colégio de Consultores da diocese do Alto Minho, “em conformidade com as normas do Código de Direito Canónico”, tendo em vista o governo interino desta Igreja local, até à nomeação de um novo bispo por parte do Papa”.

Monsenhor Sebastião Pires Ferreira, de 76 anos de idade, comunicou ao núncio apostólico (representante diplomático do Papa) em Portugal, D. Ivo Scapolo, a “aceitação das funções para as quais foi eleito”, diz a Diocese em comunicado.

“A nossa palavra, nesta hora, é, antes de mais, de ação de graças ao Senhor pelo dom que o nosso querido D. Anacleto Oliveira foi, e continuará a ser, para a nossa Igreja Diocesana. Recordamos, com memória agradecida, a recente comemoração dos 50 anos de ordenação sacerdotal e os 10 anos da sua entrada na Diocese de Viana do Castelo, assim como a sua importância e impulso na canonização de D. Frei Bartolomeu dos Mártires”, expressa fonte da Diocese.

A Diocese de Viana do Castelo agradece “as inúmeras manifestações de solidariedade e condolências que, ao longo das últimas horas, nos fizeram chegar”.

O Monsenhor Sebastião Pires Ferreira, ordenado padre em 1967, foi nomeado vigário-geral da Diocese de Viana do Castelo em março de 1985; foi delegado da Administração da Diocese aquando das saídas de D. Armindo Lopes Coelho (1997) e D. José Augusto Pedreira (2010).