O executivo municipal aprovou, em reunião ordinária, uma proposta de comparticipação de despesas relacionadas com a sanidade animal para evitar o encerramento de explorações agrícolas e pecuárias. 

“A Cooperativa Agrícola de Viana do Castelo (CAVVC) sinalizou junto do Município de Viana do Castelo as dificuldades sentidas nos últimos anos, onde se destaca o aumento do preço dos produtos, com maior incidência no aumento dos combustíveis, colocando os produtores agrícolas numa situação de fragilidade, uma vez que o valor das suas produções agrícolas não acompanhou o aumento generalizado destes preços”, refere o documento. “Face a esta situação de insustentabilidade financeira para o agricultor, existe uma grande probabilidade de encerramento das explorações agrícolas e pecuárias da nossa região”, é indicado.

Assim, “por forma a evitar o encerramento de atividades agrícolas e por forma a manter e robustecer as explorações existentes, a Cooperativa Agrícola solicitou ao Município colaboração financeira nas despesas relacionadas com as ações de sanidade animal, das quais os produtores poderão beneficiar”.

“A sanidade animal envolve um trabalho de prevenção, planeamento e cuidados com a qualidade de vida dos animais, para que a produção seja maior e melhor, já que animais saudáveis garantem a qualidade da cadeia do setor pecuário e ainda protegem a saúde pública e o meio ambiente”, é realçado. 

O Município vai, pois, apoiar a CAVVC com 2.500 euros por mês, num apoio global de 22.500 euros por ano, “dada a importância que o sector primário assume na nossa região e por forma a garantir as medidas necessárias para a manutenção dos trabalhadores agrícolas de Viana do Castelo”.

De acordo com a proposta apresentada pela Vereadora dos Serviços Urbanos, Carlota Borges, a Cooperativa Agrícola é a delegação responsável que visa dar apoio aos profissionais do setor agrícola no concelho vianense e presta, de forma direta, serviços técnicos e sanitários aos agricultores locais, nomeadamente no que se refere à erradicação de doenças que possam criar um grau de perigosidade à saúde pública sendo, por isso, alvo de ação por parte deste organismo, das quais são executadas ações que promovam a sanidade animal.