Amanhã, dia 21 de maio, às 13h30, elementos do Partido Comunista Português (PCP) reúnem, na Avenida do Atlântico, com os trabalhadores dos estaleiros da West Sea.

Gonçalo Oliveira, membro da Comissão Política do Comité Central do PCP, estará em Viana do Castelo para uma jornada de contacto e informação junto dos trabalhadores sob o lema «Nem um direito a menos», inserida na campanha «Valorizar o Trabalho e os Trabalhadores. Não à exploração».

Esta ação, que a vida vem justificar plenamente, pretende fazer a denúncia do agravamento das condições de vida e de trabalho dos trabalhadores, expresso nas centenas de milhar de trabalhadores em lay-off, nas dezenas de milhar de despedimentos, na brutal redução dos salários, nas alterações unilaterais de horários, na imposição de férias, na retirada de direitos.

Como o PCP tem vindo a afirmar repetidamente, a pretexto do surto epidémico, sectores do patronato lançaram mão de uma imensa operação visando a redução de salários e outros rendimentos dos trabalhadores e dos seus direitos, procurando aproveitar a oportunidade para, no imediato, agravar a exploração e transferir para cima dos trabalhadores e da Segurança Social os custos desta fase, e para, a médio prazo, conseguir que esses direitos se percam.

Com acções de contacto programadas para todos os distritos e regiões autónomas, esta jornada pretende ainda fazer a afirmação do conjunto de propostas que o PCP tem apresentado na AR e que, a serem aprovadas, dariam resposta ao essencial dos problemas identificados, como se pode verificar nas proposta de proibição dos despedimentos, de pagamento das remunerações a 100% a todos os trabalhadores ou de regulamentação do subsídio de insalubridade, penosidade e risco para os trabalhadores dos sectores privado e público.