Ricardo Guia lançou a iniciativa de dar peixe a quem tem fome. O pescador explicou que o objetivo é doar o peixe sem valor comercial, mas que ainda está em condições de ser consumido.

Nas suas redes sociais explica que “a ideia original não é minha. Vi uma iniciativa do género numa página no Facebook de homens ligados ao mar e decidi que podia fazer a mesma coisa na minha cidade”, refere Ricardo Guia.

Aquele vianense, que comanda o “Sempre em Frente” refere que “por vezes, apanhamos peixe que não tem valor para venda. É peixe do dia, mas está um bocado batido, ou vem mordido por outros peixes. Está bom para consumo porque o levamos para casa para comer e podemos oferecer”.

“Se numa semana for todos os dias ao mar, levo muito peixe para casa. Somos só três lá em casa. Normalmente tenho dado a amigos. Mas nesta altura, posso partilhar com quem precisa”, afirmou à Lusa, referindo às dificuldades de muitas famílias devido à pandemia de covid-19.

No apelo que deixou na página pessoal das redes sociais, escreveu: “não vás para a cama, e muito menos com os teus filhos, sem comer”.

Ricardo explicou que “no final de cada dia faina, parte do peixe capturado é repartido pelos homens a bordo do “Sempre em Frente”.

“Só podemos apanhar 40 quilogramas de peixe por maré, tiro duas a três partes para dividir pelos homens. Por exemplo, se temos 50 fanecas, dividimos esse peixe pelo número de homens que foram no barco. A mim e ao meu pai toca-nos sempre uma parte que acabamos por dar a amigos. Não custa nada oferecer esse peixe a quem necessitar”, acrescentou o pescador.

Ricardo Guia explicou que “as pessoas que estejam interessadas podem enviar mensagem privada”.

“Percebo que algumas possam ter algum receio em se expor. Se for em Viana do Castelo, não me custa nada dar ou levar o peixe a quem precisar”, disse.

No início deste mês, Ricardo, comandante do “Sempre em Frente”, e o pai, José da Guia, patrão do pesqueiro receberam a medalha de Nossa Senhora da Agonia, padroeira dos pescadores.

A distinção foi entregue pelo presidente da Câmara de Viana do Castelo como forma de agradecimento pelo resgate de sete tripulantes de outra embarcação que acabou por afundar.

Em nota então enviada às redações, a autarquia adiantou que o autarca socialista José Maria Costa “agradeceu ao mestre e ao filho, ambos pescadores, o ato de elevado altruísmo, que permitiu o salvamento dos sete homens que iam a bordo da embarcação Samaritana”.

Ricardo Guia, que comanda a embarcação que é propriedade do pai, José da Guia, liderou o resgate, a 16 milhas da costa, da tripulação do barco de pesca matriculado em Vila Praia de Âncora, num momento em que as duas embarcações andavam no mar à pesca do polvo.