A Polícia Judiciária e a Guardia Civil desmantelaram uma rede internacional de construção de lanchas rápidas. Em comunicado, fonte da PJ esclarece que “foram efetuadas buscas a empresas e armazéns em Portugal, num total de oito, na região do Alto Minho, na margem sul de Lisboa e no Algarve”.

A operação desenrolou-se em “diferentes regiões dos dois países ibéricos, que conduziu ao desmantelamento de uma associação criminosa que se dedicava à construção e utilização de embarcações de alta velocidade, conhecidas como “lanchas voadoras”, que utilizariam no transporte de grandes quantidades de produto estupefaciente, principalmente haxixe, que introduziam na Europa, através de Espanha e Portugal”.

No comunicado, lê-se que “a operação foi o culminar de ações desenvolvidas no âmbito da cooperação entre as entidades policiais dos dois países, que decorriam há cerca de ano e meio, dirigidas a grupo criminoso constituído em Espanha que, considerando a proibição de produção de “lanchas voadoras” decretada em Espanha no ano de 2018, socorreu-se de empresas portuguesas, a quem faziam encomendas das embarcações, as preparavam e colaboravam na sua colocação em água, em diferentes pontos da costa portuguesa e espanhola, já carregadas com grandes quantidades de combustível em bidões, destinadas à recolha e transporte de estupefaciente”.

As buscas permitiram apreender 21 lanchas em diferentes estados de produção, “estando uma já totalmente equipada e dotada com quatro motores de 300 HP”, a estas acrescem outras apreendidas em Espanha, totalizando “40 embarcações“, uma dezena das quais apetrechadas e disponíveis a serem de imediato utilizadas pela organização.

Um cidadão portugês, de 39 anos, foi detido, ao qual as autoridades judiciárias espanholas imputam a pertença da organização criminosa dedicada ao contrabando e tráfico de drogas. Depois de presente ao Tribunal da Relação de Guimarães, ficou sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação com pulseira eletrónica.

Em Espanha, foram ainda efetuadas detenções num total de 72 indivíduos, suspeitos de integrarem a organização criminal desmantelada.

No ano e meio em que decorreram as investigações, em Espanha e Portugal, foram monitorizadas e identificadas múltiplas ações ilícitas da organização criminosa com relevância probatória, tendo sido possível intercetar e apreender uma tonelada de haxixe no sul de Espanha.

Na operação em Portugal estiveram envolvidos operacionais da Diretoria do Norte, da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes e da Diretoria do Sul da Polícia Judiciária, bem como da Guardia Civil de Espanha.