Os Serviços de Ação Social (SAS) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) passam agora a explorar a Pousada de Juventude de Melgaço. O protocolo assinado ontem com o Município de Melgaço e com a Movijovem é uma das soluções encontradas para dar resposta à falta de alojamento para os estudantes da Escola Superior de Desporto e Lazer (ESDL). Politécnico de Viana do Castelo está ainda a trabalhar “em mais soluções” para colmatar a falta de camas.

 

A cerimónia de assinatura contou com a presença do ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, que realçou “o ato de grande arrojo, de grande audácia e de generosidade por parte do Politécnico de Viana do Castelo e do Município de Melgaço”.

Este protocolo, o primeiro deste género a ser celebrado no país, “vem, acima de tudo, ajudar a resolver um problema que é nacional, sendo que há cada vez mais a necessidade de existirem vagas no ensino superior associadas à existência de alojamento para os estudantes”, defendeu o ministro, aplaudindo o “esforço” do Politécnico de Viana do Castelo para dar condições aos alunos.

O protocolo assinado determina que os SAS-IPVC deterão a exploração direta da Pousada de Juventude de Melgaço. A Movijovem cede o imóvel da Pousada de Juventude de Melgaço, pelo prazo de 15 anos, ao Município de Melgaço e este, por sua vez, atribuirá a exploração do imóvel aos SAS-IPVC, por igual período de tempo, obrigando-se o Município de Melgaço à realização das obras de reabilitação, no prazo de 18 meses.

Ainda no âmbito do protocolo, os SAS-IPVC obrigam-se a disponibilizar a totalidade dos quartos para comercialização junto do público em geral, durante os meses de julho e agosto, reduzindo essa capacidade para 50% durante a primeira quinzena de setembro. Durante o restante período do ano, os SAS-IPVC obrigam-se a disponibilizar a totalidade dos quartos para reforçar a oferta de alojamento acessível aos alunos da instituição.

“Não queremos que estas camas estejam vazias um único dia no ano”, assumiu Tiago Brandão Rodrigues, até porque desta forma ganhasse alojamento para os alunos e estadia a preços mais acessíveis para os jovens que queiram vir passar férias na época alta.

O presidente do Politécnico de Viana do Castelo, Carlos Rodrigues, anunciou ainda a reconversão e ampliação da Escola Primária de Prado para disponibilizar alojamento aos estudantes. Mas a parceria com o Município de Melgaço não se fica por aqui. “Estamos a trabalhar na possibilidade de criar mais uma oferta em pré-fabricados ou bungalows com todas as condições para acolher mais estudantes”, avançou ainda Carlos Rodrigues, garantindo que com estas três soluções a questão do alojamento “ficará resolvida”.

Também o presidente da Câmara Municipal de Melgaço, Manoel Batista, confessou que a falta de alojamento dos estudantes é uma “grande preocupação”, assumindo aqui a parceria com o Politécnico de Viana do Castelo para mitigar as dificuldades de alojamento estudantil.

Mas estas soluções, espera Manoel Batista, “não vão substituir a oferta privada que tem acontecido muito no município”, confirmando que “é fundamental para continuar a dinamizar a economia local”.