O prémio Jean Loup Passek, promovido pelo MDOC – Festival Internacional de Documentário de Melgaço está com submissões abertas até ao dia 19 de abril. Podem concorrer documentários cinematográficos, produzidos em qualquer país e com qualquer duração, que abordam os temas do festival: identidade, memória e fronteira. O prémio Jean Loup Passek está integrado no MDOC – Festival Internacional de Documentário de Melgaço, que em 2021 vai decorrer de 02 a 08 de agosto.

Os filmes submetidos serão analisados pelo júri do prémio Jean Loup Passek, que nesta edição é constituído pelas realizadoras Julia Kushnarenko e Susana de Sousa Dias, pelos realizadores Alessandro Negrini e Alfonso Palazón Meseguer e pela professora e programadora Jane Pinheiro.

Os documentários selecionados serão exibidos durante o festival MDOC, altura em que serão anunciados os vencedores. O vencedor na categoria de longa-metragem será premiado com um prémio no valor de 3.000 euros, a melhor curta-metragem receberá 1.500 euros e o melhor documentário português a concurso arrecadará o prémio nacional, no valor de 1.000 euros.

Além do Prémio Jean Loup Passek, os filmes a concurso ficarão automaticamente candidatos ao Prémio D. Quixote, promovido pela Federação Internacional de Cineclubes e com júri próprio.

Nesta edição, pela primeira vez, o Prémio Jean Loup Passek abre também candidaturas para o melhor cartaz de cinema. A distinção será atribuída a um cartaz original criado para um filme documentário, de animação ou de ficção, de curta, média ou longa-metragem, com produção portuguesa ou galega. O concurso está aberto a designers e os cartazes devem promover filmes terminados depois de 1 de janeiro de 2018, sendo a data limite para para inscrição de cartazes o dia 30 de abril de 2021.

Devido à pandemia da Covid-19 o festival viu-se forçado a cancelar a edição de 2020. Todos os filmes que já tinham sido submetidos para a edição de 2020 estão automaticamente inscritos e serão considerados no processo de seleção da edição de 2021.

O Prémio Jean Loup Passek foi assim batizado em homenagem ao escritor e crítico de cinema francês, que escolheu Melgaço como uma segunda casa e que doou o seu espólio ao município. O festival MDOC é uma iniciativa da Câmara Municipal de Melgaço em parceria com a AO NORTE – Associação de Produção e Animação Audiovisual, que pretende promover e divulgar o cinema etnográfico e social, refletir sobre identidade, memória e fronteira.

Todas as informações sobre o prémio e processo de candidatura podem ser encontradas na página da internet do festival, em www.mdocfestival.pt