O primeiro comboio elétrico, de serviço regional, a circular na Linha do Minho, parte da estação de Valença às 05h55 de dia 25 com destino ao Porto, passando por Viana do Castelo, disse hoje fonte da CP.

Em sentido inverso, adiantou à agência Lusa a fonte da CP-Comboios de Portugal, às 06h parte da estação da Campanhã, no Porto, “um comboio que entra, às 07h20, no novo troço eletrificado em Viana do Castelo e chega a Valença às 08h01”.

O secretário de Estado das Infraestruturas, Jorge Delgado, anunciou na sexta-feira, em Carreço, que as primeiras circulações no troço Viana do Castelo e Valença começam a circular no dia 25 de abril. A modernização e eletrificação da Linha do Minho acabou no final de 2020, início de 2021, num investimento de 18 milhões de euros.

A fonte da CP adiantou que aquela ligação ferroviária “vai ser assegurada por carruagens Corail, para os serviços intercidades e inter-regional, sendo que o serviço regional será garantido por automotoras (Unidades Triplas Elétricas (UTE) da série 2240”.

Aquela fonte adiantou que as carruagens da série ARCO que, inicialmente foram apontadas para iniciar a nova operação “não vão entrar em funcionamento para já”.

“Houve algum atraso nos trabalhos de recuperação e por terem sido carruagens adquiridas as Espanha para operar em Portugal precisam de homologação, que pela legislação em vigor, passa pelo Balcão Único Europeu”, explicou a fonte.

Em causa estão as 51 carruagens compradas em setembro de 2020 pela CP à espanhola Renfe por 1,61 milhões de euros.

Inicialmente, estava previsto que três dessas carruagens, “recuperadas e já sem amianto”, começassem a operar na Linha do Minho, entre o Porto e Valença.

Hoje em Viana do Castelo, o secretário de Estado das Infraestruturas, adiantou “estar previsto para o dia 26 um momento evocativo da inauguração daquele troço da linha ferroviária com a presença do primeiro-ministro, António Costa”.

Aquele “momento” prevê uma viagem de comboio elétrico, com partida em Viana do Castelo e destino em Valença, onde ocorrerá uma cerimónia oficial.

A modernização e eletrificação da Linha do Minho, entre Nine, no distrito de Braga, e Valença, no distrito de Viana do Castelo representou um investimento de 86,4 milhões de euros, inserido no Plano de Investimentos Ferrovia 2020 e cofinanciado pelo programa Compete 2020.

A modernização da Linha do Minho foi anunciada em 2011, depois de afastada a possibilidade de encerramento da ligação ferroviária internacional entre a cidade do Porto e Vigo, na Galiza.

Na quinta-feira, uma portaria dos secretários de Estado do Orçamento, Cláudia Joaquim, e das Infraestruturas, Jorge Moreno Delgado, publicada em Diário da República (DR), autorizou a IP a proceder à repartição de encargos de 3,6 milhões de euros relativos ao contrato para a instalação do «GSM-R – Implementação de infraestruturas para BTS” em duas ligações ferroviárias, entre elas, o troço Nine-Valença.

Fonte da IP explicou à Lusa que o “GSM-R é um sistema de comunicação ferroviária, o mais avançado e usado nas principais redes ferroviária da Europa e do mundo”.

“Este sistema, que a IP está a instalar na Rede Ferroviária Nacional, assegura uma importante melhoria da capacidade, fiabilidade, disponibilidade e qualidade das comunicações de voz e dados entre os comboios e os Centros de Comando Operacionais, e consequentemente a segurança e produtividade da exploração ferroviária”.

A mesma fonte adiantou que com a publicação daquela portaria em DR, a IP poderá “proceder, em breve, ao lançamento do concurso público” para a implementação daquele sistema.