A VianaPolis anunciou, na semana passada, que ainda está a aguardar decisão judicial da providência cautelar movida em julho pelos últimos moradores do Prédio Coutinho. O processo está suspenso após o falecimento da cônjuge de um dos moradores do edifício. De acordo com a VianaPolis, “no dia 05 de julho e, antes de ser proferida […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.