José Vieira, professor catedrático da Universidade do Minho, é o primeiro português a presidir a Federação Mundial de Associações Profissionais de Engenharia (WFEO), que representa mais de 30 milhões de engenheiros de 100 países, tem sede em Paris (França) e foi criada há 51 anos sob os auspícios da UNESCO. A sua eleição decorreu a 23 de novembro, durante a assembleia-geral deste organismo, em Melbourne (Austrália). José Vieira sente-se “muito honrado” pelo cargo, que “prestigia a engenharia de Portugal, a Ordem dos Engenheiros e a UMinho”.

“A engenharia tem um papel fundamental face aos desafios do esgotamento de recursos, aumento da urbanização, degradação ambiental e mudanças climáticas. A WFEO deve envolver-se nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, reconhecendo que altos padrões de segurança e bem-estar nas sociedades modernas podem ser alcançados através dos avanços da engenharia”, define José Vieira. Este objetivo surge na senda da Declaração de Paris e do memorando daquela federação com a UNESCO em 2018.

“Considerando a força histórica da nossa rede global de profissionais altamente diversificada, queremos afirmar a engenharia num mundo em transformação, construindo o progresso social para servir a humanidade e proteger o ambiente”, realça. A recente aprovação pela UNESCO de 4 de março como o Dia Internacional da Engenharia para o Desenvolvimento Sustentável “permitirá uma maior visibilidade da relevância e valor da engenharia junto dos cidadãos”, acrescenta.

O docente da UMinho pretende ainda envolver Governos dos países membros da WFEO em projetos conjuntos, como atrair a juventude aos cursos superiores de engenharia, mostrando que “é uma área com muito emprego, vive uma grande internacionalização e é essencial para o progresso da indústria, da tecnologia e da inovação”, o que exige também a atualização constante dos seus profissionais. José Vieira foi o candidato português indicado pela Ordem dos Engenheiros, cujo bastonário Carlos Mineiro Aires o considerou, pela sua formação técnica e profissional, “a pessoa certa” para representar os engenheiros em todo o mundo e para promover esta profissão “determinante para um presente e futuro sustentável”.