A recomendação do Bloco de Esquerda ao Governo para abolição do pagamento de portagens na A28, entre Viana do Castelo e o Porto, que foi hoje levada à discussão e votação na Assembleia da República foi chumbada com os votos contra do PS e abstenção do PSD, CDS-PP e Iniciativa Liberal.

O partido que levou o assunto à discussão, BE, o PCP, o PAN, o PEV e a deputada não inscrita Joacine Katar Moreira votaram a favor.

A medida que pedia a abolição de portagens em outras SCUT´s foi rejeitada pela maioria socialistas.

No documento da proposta lia-se: “estamos perante uma situação de injustiça concreta para o Alto Minho, duramente penalizado com a introdução de portagens, com impacto significativo para as relações económicas, comerciais e turísticas do Alto Minho com a Galiza, já que 51% das mercadorias transportadas com destino a Espanha entram através da Galiza e 65% das mercadorias transportadas por estrada no norte de Portugal são provenientes da Galiza”.

O Bloco de Esquerda adiantava ainda que “a existência de descontos para veículos de mercadorias não é suficiente para assegurar a solvabilidade financeira das micro e pequenas empresas”.

Ontem foi debatida uma petição, apresentada em 2017, da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL), que reclamava a eliminação do pórtico de Neiva da Autoestrada 28 (A28).

O pórtico do Neiva está situado à entrada de uma zona industrial da capital do Alto Minho e que é considerado um “entrave” à atividade empresarial da região.