O movimento Re-food foi considerado um dos projetos inovadores para o futuro pelas Nações Unidas. Viana do Castelo conta com um núcleo desde 2017 e alimenta atualmente cerca de uma centena de pessoas, evitando o desperdício, diário, de centenas de quilos de alimentos. Mensalmente são distribuídas, em Viana, duas mil refeições.

O “The Futures Project” surge no âmbito das comemorações dos 75 anos das Nações Unidas e pretende selecionar os 15 melhores projetos a nível mundial num conjunto de 15 áreas. De Portugal, o único projeto que está na semifinal é o Movimento Re-food, apresentando-se em três categorias: Waste and Sanitation; Food and Water; e Society and Community. Fundado por Hunter Halder, em Lisboa, em março de 2011, o objetivo da Re-food é combater o desperdício alimentar e distribuir refeições por quem mais precisa, unindo toda a comunidade neste processo.

O núcleo vianense existe desde 2017 e voltou, há três semanas, a funcionar em cincos dias da semana, de segunda a sexta, a partir das 19h30, com entrega de comida, no Centro de Operações (CO), localizado na Avenida General Humberto Delgado, n.262.

Com a diminuição da recolha de alimentos nos parceiros habituais, os restaurantes, o núcleo local conseguiu uma nova fonte de alimentos, o hipermercado Continente. Com este novo apoio, cuja recolha decorre nos sete dias semanais, foi possível aumentar o número de famílias beneficiárias. Neste momento, o número centra-se em cerca de 100 pessoas, adultos e crianças.

Neste momento, o núcleo debate-se com a falta de voluntários para melhor desempenhar a sua função de apoio social. “Queremos desafiar todos aqueles que tenham algum tempo livre a juntar- se a nós”, dizem os responsáveis do núcleo local. Acrescentando que para ser voluntário basta dirigir- se ao CO ou então contactar através da página de Facebook do núcleo local, email: refood.viana@gmail.com ou do telemóvel 910 705 174.