As duas mortes ocorridas no dia 23 de outubro, no concelho de Arcos de Valdevez, na sequencia de queimadas obrigaram a Proteção Civil a apelar a um maior cuidado.

O primeiro Comandante Operacional Distrital (CODIS) de Viana do Castelo, disse que “duas mortes num só dia é preocupante”. Marco Domingues salientou: “É preciso redobrar os cuidados quando se procede à queima de sobrantes. As pessoas não devem facilitar nas condições de segurança”.

Como conselhos explicou que “deve ser cortada toda a vegetação existente na envolvente do local onde vai ser realizada a queima, para evitar a propagação do fogo pelas ervas secas” e ainda “deve existir, sempre, água por perto”. Outra medida é “avisar as autoridades” através do 117.

O apelo de Marco Rodrigues surge na sequência de duas mortes de mulheres ocorridas em Arcos de Valdevez. Uma de 85 e outra de 71 anos.

Uma das mulheres foi encontrada, cerca das 21h, em Vilela de Grade e a outra, às 12h16, em Paredes, Padroso, em Arcos de Valdevez.

Através das redes sociais, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez, Filipe Guimarães, referiu que terça-feira foi “um triste e muito negro” para o concelho e lançando o apelo: “Muita atenção porque o fogo mata. Não há necessidade destas coisas”.