O núcleo da Re-food de Viana do Castelo reabriu para angariar bens não perecíveis e distribuir pelas famílias beneficiárias.

Às segundas, quartas e sextas-feiras, das 17h às 19h, o Centro de Operações, localizado na Avenida General Humberto Delgado, n.º 262, está aberto para a receção dos alimentos.

Em meados de março, depois de suspender a sua normal atividade, recolha de excedente alimentar, por falta do mesmo, mas também de voluntários que já começavam a recear a pandemia Covid, o núcleo Re-food encontrou soluções para os seus Beneficiários. A maioria, 16 agregados familiares, mantive o apoio da Re-food, sendo-lhes entregues cabazes fruto da cooperação entre o núcleo e seus parceiros como a Câmara Municipal de Viana do Castelo, Banco Alimentar de Viana do Castelo e Associação de Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Os restantes 12 agregados familiares foram acolhidos por outras instituições de solidariedade social que conseguiam responder melhor às suas necessidades.

Nesta fase de desconfinamento, a gestão do Núcleo decidiu reabrir o espaço para dar oportunidade para que todas as pessoas da comunidade possam participar no apoio, de forma mais regular, aos Beneficiários.

A comunidade tem correspondido ao apelo, e quase todos os dias o núcleo recebe alimentos. Nesta fase, contam ainda com a generosidade da empresa Packote-Eventos e do fotógrafo (à la minute) Nuno Firmino, que registam o confinamento das famílias vianenses, em troca de bens alimentares, que posteriormente são entregues no núcleo.

Leite, massa, arroz, enlatados e ovos são alguns dos produtos que podem ser entregues naquele espaço para depois serem compostos os cabazes a entregues às famílias beneficiárias.

Com uma crescente procura de ajuda por parte de famílias vianenses, o núcleo Re-food de Viana não tem “de momento” condições para apoiar mais famílias.