A Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) veio a público alertar para a pouca eficácia de máscaras faciais caseiras, designadas de comunitárias, sobretudo na proteção da nova variante do novo coronavírus.

A nova variante inglesa tem, segundo fonte da SPP, “maior capacidade de transmissibilidade da doença”, levando já muitos países europeus, com Alemanha, Áustria e França a proibirem o uso de máscaras comunitárias na rua.

“Deverá ser considerada a obrigatoriedade de uso de máscaras cirúrgicas, podendo ser considerado, apenas em alternativa, o uso de máscaras comunitárias certificadas pelo CITEVE que, cumprindo os critérios de filtração de partículas, respirabilidade e boa adesão à face e nariz, conferem uma proteção comparável”, refere a SPP.

Fonte da SPP explica ainda que o uso de máscara não substituiu as restantes medidas e o distanciamento físico, desinfeção e adequada ventilação dos espaços fechados.

“A correta utilização de máscaras é uma das medidas mais eficazes para a prevenção da infeção por Covid-19”, frisam.