A ministra da Saúde anunciou hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá iniciar-se entre 27 e 29 de dezembro. Marta Temido informou que o primeiro lote de vacinas será de 9.750 unidades e irá priorizar os profissionais de saúde. Os grupos prioritários previamente anunciados não sofrem alterações.

As vacinas da Pfizer-BioNTech serão inicialmente administradas aos profissionais de saúde, funcionários e utentes das Instituições Particulares de Solidariedade Social.

“[O dia de] autorização para a introdução da vacina no mercado, para que possa chegar ao nosso país ainda antes do Natal, de acordo com a própria empresa farmacêutica, é a 26 de dezembro”, referia Marta Temido. A ministra da Saúde explicou ainda que a 04 de janeiro, chegarão cerca de 303 mil doses, em fevereiro serão 429 mil doses e 487,500 doses em março.

“Em janeiro devem ser administradas 312.975 doses. Este valor é inferior àquele que que inicialmente tínhamos previsto, na medida em que a [Pfizer] alterou aquilo que são as suas possibilidade de distribuição para todos os países europeus”, esclareceu.

A ministra da Saúde falava após uma reunião dos membros da Comissão de elaboração do Plano de vacinação e manifestava que a vacina da Moderna tem previsão para ser aprovada pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) a 12 de janeiro, sendo que as restantes (AstraZeneca/Oxford, Johnson&Johnson e Curevac) encontram-se ainda em avaliação clínica.

Ainda assim, a farmacêutica e universidade britânica deverão enviar para Portugal mais de 1.400 mil doses no primeiro trimestre de 2021, enquanto que a Moderna prevê distribuir no território nacional 227 mil doses durante o próximo ano.

“[O que ficou definido é que] Esta primeira fase iria abranger os profissionais de estruturas residenciais para idosos, os profissionais de saúde, os residentes destas estruturas para idosos e depois as pessoas que, com mais de 50 anos, reúnem uma ou mais de várias patologias. Essa definição de grupos prioritários mantém-se”, informou Marta Temido.

“O que fizemos foi a identificação de um subgrupo para este primeiro lote de vacinas que ainda nos chegará ainda este ano. Em janeiro, iremos continuar a vacinar de acordo com esta identificação previamente realizada”, expressa a ministra da Saúde.