O concelho de Viana do Castelo entrou hoje no nível de “risco elevado”, passando a ser obrigatório o “recolher domiciliário” às 23h, o fecho dos restaurantes às 22h30; a exigência do certificado digital ou teste negativo às sextas-feiras a partir das 19h e aos sábados, domingos e feriados durante todo o dia, o acesso a restaurantes para serviço de refeições no interior e o teletrabalho obrigatório para as atividades que o permitam.

Viana do Castelo é um dos 55 concelhos que ultrapassa os 240 casos por 100 mil habitantes. No distrito, Paredes de Coura continua também neste nível.

Para além daquelas medidas, os espetáculos culturais só podem decorrer até ás 22h30; os casamentos e batizados terão permissão apenas com 50 % da lotação. O comércio a retalho alimentar, não alimentar e prestação de serviços só pode funcionar até às 21h. Há permissão de prática de todas as modalidades desportivas, sem público; de prática de atividade física ao ar livre e em ginásios; e os eventos no exterior com diminuição de lotação, a definir pela Direção -Geral da Saúde (DGS).

As lojas de Cidadão com atendimento presencial por marcação.

A ministra da Presidência explicava, na conferência de imprensa, após o Conselho de Ministros que “com incidências tão elevadas, não podemos dizer que estamos numa situação sem nível de preocupação, mas o facto de crescermos menos e depois, eventualmente, pararmos mesmo de crescer é obviamente um bom sinal. Resulta da capacidade de conter o crescimento da pandemia e, obviamente, da eficácia da vacinação”.

Mariana Vieira da Silva frisava que “quando olhamos para os níveis de incidência e para o ritmo de transmissão que neste momento se verifica, podem ver a evolução que aconteceu e é hoje claro que o nível de transmissão, continuando acima de um, é menor do que foi nas últimas semanas”.