De 12 a 17 de outubro, o Município de Viana do Castelo promove a I Semana de Combate à vegetação invasora, fazendo ações em seis monumentos do concelho, com a colaboração de empresas e voluntários. No sábado, dia 17 de outubro, a ação vai decorrer em Vilar de Murteda e é pedida a colaboração de voluntários, que podem inscrever-se no sítio www.www.cmia-viana-castelo.pt/.

O evento é enquadrado na Semana Nacional de Sensibilização sobre Espécies Invasoras e pretende, segundo o vereador do Ambiente, a iniciativa surge “na sequência de duas linhas estratégicas em curso que agora se cruzam”. Ricardo Carvalhido adianta que “por um lado temos o problema da invasão biológica (em todo o país)” e que esta tem “destruído grande parte dos nossos ecossistemas”.

Em Viana, os 13 monumentos naturais, para além de vegetação nativa, tem invasoras, nomeadamente acácia, cortaderia, cana gigante, tintureira (uva de cão), chorão e tradescância. Estas são o alvo das ações.

De segunda a sexta-feira, a eliminação das plantas invasoras é desenvolvida em parceria com as empresas que apadrinham os monumentos.

No Alcantilado de Montedor a ação foi desenvolvida na segunda-feira, dia 12, e contou com a colaboração da Junta de Freguesia e as empresas Tobor, Dima e Beach Bowling.

Terça-feira, dia 13, a ação desenvolveu-se no Monumento Natural das Cascatas da Ferida Má, com a Triauto. Hoje, dia 14, a ação esteve presente no Monumento Natural da praia Eemiana da Ribeira de Anha, com a presença da Extinsegur e do Surf Clube de Viana.

Amanhã a ação vai desenrolar-se no Monumento natural das Cristas Quartzíticas do Campo Mineiro de Folgadoiro-verde. E na sexta-feira no Monumento Natural da Falha das Ínsuas do Lima.

Sábado, de manhã a ação acontecerá em Vilar de Murteda, com o apoio de voluntários e à tarde, entre S. Lourenço e o porto de mar, com a colaboração dos escuteiros.

Ricardo Carvalhido conta que “decidimos eleger as áreas classificadas como aquelas em que teremos a natureza no seu pleno”. Acrescentando que pretendem “recuperar aqueles espaços para que quem os visite ou estude, o possa fazer com a sensação de que o ser humano não existe. Voltar atrás no tempo”.

No ano passado, a autarquia contratualizou com 23 empresas e fez uma candidatura ao POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos) para recuperar “ecologicamente”  90km2, tendo conseguido um apoio de 500 mil euros.

Nesta primeira fase, o vereador explica que nesta semana “estamos a fazer a sessão de arranque com as empresas”. Ricardo Carvalhido adianta que irão “formar as empresas quanto às técnicas a empregar na erradicação e controlo da vegetação”, porque “cada espécie exótica tem a sua técnica”. “Nesta I Semana ficarão formadas as equipas de cinco monumentos naturais”, explica, concluindo a formação a 40% das empresas com quem estabeleceram parcerias.

A II semana de Combate à Vegetação Invasora realiza-se no dia 24 de novembro, no Dia Nacional da Cultura Científica. E a terceira semana, a 11 de dezembro, no Dia Internacional da Montanha. Após estas ações ficaram formadas “as restantes empresas que ficarão responsáveis pelos restantes oito monumentos naturais”.