Hoje e amanhã, Viana do Castelo acolhe 19 embaixadores de países da União Europeia. Esta sexta-feira de manhã, os participantes nesta cimeira foram recebidos pelo presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo, José Maria Costa, que destacou o grande empenho e a grande preocupação demonstrada pela Roménia para o debate e consolidação do projeto europeu.

O autarca referiu que a Europa aproxima povos, regiões e línguas, assumindo ser gratificante ver a juventude a falar da Europa, destacando o papel do programa Erasmus para a consolidação da família europeia.

José Maria Costa referiu ainda os desafios que a União Europeia tem de enfrentar de forma conjunta, destacando as migrações, a segurança, as questões ambientais e as alterações climáticas.

O edil considerou também ser fundamental privilegiar a construção de projetos de cooperação e desenvolvimento com o Norte de África, por acreditar que os problemas a enfrentar são semelhantes.

Na cerimónia, Ioana Bivolaru, embaixadora da Roménia, destacou a importância da visita a Viana do Castelo para que os embaixadores europeus conheçam a realidade portuguesa, referindo que a capital do Alto Minho é reconhecida pelo seu potencial industrial e turísticos.

Ainda esta manhã, os embaixadores visitam o Museu do Traje e seguem para a Pousada do Monte de Santa Luzia, para uma reunião de trabalho onde o autarca, enquanto presidente da Comunidade Intermunicipal do Alto Minho (CIM Alto Minho) vai apresentar as oportunidades de negócio da região do Alto Minho. Nesta sessão, participa também a Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL) e será apresentado o projeto Windfloat pela EDP Renováveis. Os embaixadores irão também visitar a Vianatech, Hub Tecnológico e Criativo.

Amanhã, os representantes dos países europeus visitam a Westsea Shipyards e vão reunir, ao almoço, com o Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

Neste encontro marcam presença os embaixadores da Croácia, Roménia, Polónia, Bulgária, Chipre, Suécia, Áustria, República Checa, Eslováquia, Itália, Holanda, Dinamarca, Espanha, Bélgica, Grécia, Reino Unido, Estónia, Hungria, contando ainda com a responsável pela representação na União Europeia.

A presidência do Conselho da União Europeia é exercida em regime rotativo pelos Estados-Membros da UE por períodos de seis meses. Durante cada semestre, a presidência dirige as reuniões a todos os níveis no Conselho, contribuindo assim para garantir a continuidade dos trabalhos da UE no Conselho.

Os Estados-Membros que exercem a presidência trabalham em estreita cooperação em grupos de três, chamados “trios”. Este sistema foi instituído pelo Tratado de Lisboa em 2009. O trio fixa os objetivos a longo prazo e prepara uma agenda comum que estabelece os temas e as principais questões que o Conselho irá tratar ao longo de um período de 18 meses. Com base nesse programa, cada um dos três países prepara o seu próprio programa semestral mais detalhado.

O trio atual é constituído pelas presidências da Roménia, da Finlândia e da Croácia.