Nos dias 10, 11 e 12 de junho, Viana do Castelo acolhe o Congresso Popular sobre Direitos e Liberdades Fundamentais, organizado pela Associação Conservadores com Norte, Associação Família Conservadora, Plataforma Renovar e os Vianenses. “Família, Vida e Dignidade” é o lema para este evento, que abordará temas relacionados com os direitos e liberdades fundamentais.

Na conferência de imprensa de lançamento público do Congresso, Jerónimo Fernandes, presidente da direção da Associação Conservadores com Norte, abordou a questão dos desafios que a sociedade está a passar. “Os limites territoriais de um país, a paz na Europa, a segurança, que não poderiam ser postos em causa (…). Infelizmente não é isso que está a acontecer”, afirma, especificando a situação da Ucrânia, como exemplo para falar sobre estas temáticas.

Em três dias, o programa terá diversos convidados, oradores e moderadores, centrando-se em questões relacionadas com a família, vida e educação.

Paula Cristina Veiga, da comissão organizadora, adianta que os jovens vão ter um papel de destaque neste congresso. “É um sinal que existe uma abertura da parte deles. E aos poucos começa a haver sinais que a juventude começa a despertar para questões essenciais que preocupam na nossa atualidade”, declara.

“O lugar que tem o coração do tamanho do Minho” foi o mote para a decisão da escolha de Viana do Castelo para receber este congresso, pois, para Artur Mesquita Guimarães, da Plataforma Renovar, “esta cidade é autêntica e genuína e com estas características vamos juntar muitas pessoas para um contexto agradável, pitoresco e verdadeiro. Toda esta cor que Viana tem, o mar, a serra. Viana é luz”, descreve Artur Guimarães.

O Centro Pastoral Paulo VI foi o espaço escolhido, a organização espera juntar 400 pessoas para debater aquelas questões.