As festas d`Agonia- No numero de 18 de Abril findo occupamo-nos d`estas tradicionaes festas e lembramos a conveniencia da construcção da praça de touros, que, a nosso vêr, pelo desinteresse que parece dominar em tudo e em todos, ficará para … solucionar. Pois é assumpto de capital importancia, que não deve desmerecer a attenção de quem mais lucra com a realisação das festas.
E lembrem-se que as festas d`Agonia sem touradas não valem nada.

O nosso illustre camarada d`esta cidade para “O Primeiro de Janeiro“ tambem deu signal de alerta na sua carta de 2 do corrente mez. Embora, no seu patriotico appello, não se referisse (o que acreditamos fosse por lapso involuntario) á nossa noticia, vamos archivar nas columnas d `”A Aurora” as suas sensatas palavras:
“Avisinham-se as tradicionaes festas d`Agonia, que baldadamente pretenderam chrismar de “Festas da cidade“. É, pois, tempo de pensar no que ha a fazer, para que essas importantes feiras não desmereçam e, pelo contrário, mais se acreditem no conceito dos que, por essa occasião, costumam visitar-nos.
Vianna tem o inalienavel dever de não deixar declinar essa antiquissima romaria, que lhe traz interesses consideráveis e que por assim dizer, a indemnisa da pasmaceira commercial de todo o anno. Convém, por conseguinte, cuidar com a necessaria antecipação de tudo quanto com ella se relacione – e esta patriotica obrigação cabe principalmente aos negociantes, que são quem mais lucra com semelhante festa.
Um dos números que não pôde eliminar-se do respectivo programma, sob pena de condemnar irrevogavelmente essa feira, é o dia das touradas. Impõe-se, portanto, a construcção do indispensável redonde; e como não ha margem para delongas, urge que a Associação Commercial reuna e delibere sobre o caso. A´frente da prestimosa collectividade local encontra-se um cavalheiro intelligente e activo, que muito pode fazer, querendo, para a consecução do desejado desideratum. Para elle appoellamos.”