Professor Valença e Lima
Foi reintegrado no seu antigo logar, com a pena de suspensão por seis mezes, este distincto professor que há annos ahi anda sendo victima de uma perseguição rancorosa que sómente se explica por inveja do seu conceito publico e dos seus grandes e extraordinarios merecimentos.

O conselho de ministros, perante o qual subiu o recurso do sr. Valença e Lima, não podia, em face da legalidade e do dever, deixar de lhe dar o condigno provimento.

Fez justiça, senão completa, pelo menos relativa, e isto já não é pouco n`uma época de desvairos e de animadversões que em vez de contribuir para a pacificação dos espíritos na família portugueza, mais parecem apotados a tornar cada vez mais azedo e inquietador o nosso estado social.

Sempre aqui estivemos na brecha em defeza do sr. Valença e Lima, que foi victima, como é sabido, de uma conjuração de rancores e políticos de certas más vontades inconfessáveis.
Colocamo-nos ao lado d`elle, expontanea e livremente, como sempre estaremos ao lado de qualquer funccionário honesto e digno, que seja perseguido sem legítimos motivos. Muito mais porque se tratava de um nosso amigo e conterraneo e de um professor distinctissimo que honra sobremaneira a classe intellectual a que pertence. Por isso folgamos com a reparação que agora lhe foi dada e d`aqui enviamos ao sr. Valença e Lima as nossas sinceras congratulações.