A Páscoa tem o condão de ser das festividades religiosas a que mais seduz no mundo cristão, certamente, por extravasar o meio familiar. A que se junta, com o raiar da luz da Primavera, a amenidade climática, deixando o frio e as chuvas a caminho do Verão, acompanhada pelo desabrochar da vegetação, do chilrear da passarada e do florescer da alegria nas crianças.

No nosso tempo de adolescentes, era por esta altura que as saídas à noite, depois do jantar e da mudança da hora, começavam a ser consentidas, mas apenas aos rapazes. E nas visitas, à noite, às igrejas, como acontecerá no dia de hoje — Quinta-feira Santa – íamos ao encontro das raparigas, acompanhadas pelos familiares, cruzávamos olhares que, naquela altura, só podiam sair na companhia de algum irmão mais velho.

Em época de alegorias, os marchantes colaboram, engalanando os seus talhos com carne do boi da Páscoa e dos cabritos.

A Queima do Judas é também uma das tradições que recordamos dos tempos do velho Orfanato e Oficinas de S. José, felizmente ora reabilitada.

É, então, no domingo de Páscoa (e segunda-feira seguinte) que acontece a visita do Compasso às casas dos paroquianos onde também se costumam juntar familiares e amigos. A fecundidade desta tradição vai vingando, principalmente em algumas das nossas aldeias, onde ao “mordomo da cruz” fica o cargo de organizar e pagar o banquete da festa, em que do repasto faz parte o cabrito pascal.

Por isto tudo, a tradição ainda se vai mantendo, embora os tempos concorram cada vez menos para a sua manutenção. É uma das tradições como todas as outras – nascem, crescem e morrem, perseguindo o ciclo da vida.

 

Nosso bem haja — O desenho da capa deste número especial de Páscoa brota, desta vez, da criatividade com excelente recorte gráfico do designer Rui Carvalho. Que também nos trouxe uma lufada de ar fresco ao trabalho gráfico, especialmente a partir do lettering que mudou a presunção deste semanário. Ficamos-lhe mais uma vez, muito gratos por mais esta graciosa colaboração, tal como tem acontecido com outros artistas vianenses.