Finalmente, parece ser desta que Viana irá ter acessos rodoviários condignos ao seu porto de mar. Obra há muito aguardada e que, desta vez, não pode falhar por vir embrulhada em “papel de seda eleitoral” (pg. 16). Passe ou não a coincidência, se é que assim se poderá pensar, venham mesmo esses acessos, há mais de uma meia centena de anos esperados, desde que o porto de mar foi “estrategicamente localizado” na margem sul, no Cabedelo!…

Acontece, porém, que este desejo de termos um verdadeiro porto de mar, vem sendo reclamado neste periódico desde a primeira edição, como se pode constatar na nossa rubrica de memórias (pg. 18). Uma constante e pertinente reclamação que pouca atenção tem merecido do poder central nestes últimos 164 anos. Ainda por cima se pensarmos que recentemente nos juntaram aos portos do Douro e Leixões e aí ficamos!

Para além dos acessos rodoviários será aumentada a capacidade de calagem dos quatro para os seis de profundidade, junto do cais do bugio, que passa a interessar directamente os estaleiros navais. Digamos, se tudo correr pelo melhor, ficaremos bem servidos, prontos para beneficiarmos de uma obra essencial para o bom funcionamento do nosso porto de mar.

Os novos acessos rodoviários e uma maior capacidade de calagem vão passar a despertar um maior interesse na utilização do porto de mar por parte das indústrias instaladas nas nossas áreas concelhias e, até, distritais. É o caso dos estaleiros navais WestSea e ENERCON, das eólicas, ambas só por si a justificar estes melhoramentos.