Confesso que já sentia saudades do frenesim das gentes; do colorido das ruas; da diversidade das feiras; da espetacularidade do fogo-de-artifício, dos encontros de bandas filarmónicas; da exuberância do desfile da mordomia; da popularidade do cortejo etnográfico; da beleza da confeção dos “Tapetes Floridos” nas ruas da Ribeira e do festival de concertinas e cantares […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.