Velhinha “Aurora”, de cabelos brancos,
Parabéns canto, em novo aniversário!
Beijo teus passos nobres! Tantos! Tantos!
Eu nem em sonho vejo teu calvário!

Teu rosto lindo, de rugas, medalhas,
é grata imagem que, em Festa, eu venero!
Nele contemplo prémios de batalhas
que tens travado em Ideal sincero!

Caminha! Vai! Ó nobre Mensageira,
sempre animada, como a vez primeira,
a espalhar Luz que só busca a Verdade!

Prezo-te a Vida de anciã Princesa!
Tal qual o pão, quero-te à minha mesa!!
Morrer!? Oh! não! Até à Eternidade!!!