Nunca antes foi tão importante relembrar a obra de Álvaro Cunhal “O Partido com Paredes de Vidro”, nos dias que se avizinham!

…“Não se trata de correr atrás da utopia. A Revolução de Abril confirmou que, nos longos anos de ditadura fascista, não foi correr atrás da utopia lutar pela liberdade. E a evolução mundial do nosso século já mostrou que os homens podem transformar em realidade sonhos milenários.” Seria um retrocesso na nossa história esquecermos de onde viemos e para onde queremos ir.

Nesta altura, também mais do que nunca, é importante situar a narrativa atual do estado da nação, na tentativa de relembrar, evidenciar verdades, conquistas e factos, aos mais distraídos e para que reflitam nos que se promovem como pináculos da perfeição.  

Por isto é importante reafirmar que a CDU conta! Pois foi com a CDU que avanços foram alcançados, quer pela sua iniciativa quer pela luta de tantos trabalhadores e das populações.

Relembro, resumidamente, algumas destas conquistas: 

l A reposição de salários e de outros direitos roubados, como feriados, complementos de reforma aos trabalhadores;

l Aumento do Salário Mínimo Nacional, ainda que aquém do necessário;

l A reposição do direito ao pagamento por inteiro do subsídio de Natal e o pagamento por inteiro dos salários dos trabalhadores em situação de lay-off em 2021;

l A reposição das 35 horas semanais na Administração Pública e a generalização da sua aplicação;

l A valorização do abono de família, o alargamento do abono pré-natal e do apoio às pessoas com deficiência;

l A redução das taxas moderadoras; o alargamento da contratação de médicos e enfermeiros e a redução de custos com os medicamentos; 

l A gratuitidade dos manuais escolares nos 12 anos da escolaridade obrigatória; A redução do valor das propinas.

l O prolongamento das tarifas reguladas na energia elétrica e a redução do IVA na potência contratada; apoios às MPME, e ao sector da cultura;

l O alívio do IRS sobre os rendimentos do trabalho, designadamente dos mais baixos rendimentos e intermédios, bem como a eliminação da sobretaxa;

 l  As respostas aos problemas do Alto Minho são inseparáveis da resolução dos problemas do país e só dando mais força à CDU é que algumas das seguintes linhas prioritárias constituem o desenvolvimento da região:

l  Desenvolver a região promovendo o desenvolvimento económico sustentado, apoiando produtores e atendendo às potencialidades da região. Apoio às micro, pequenas e médias empresas.

l  Reverter a AdAM e assegurar a integração dos serviços nas Câmaras e impedir qualquer caminho de privatização deste bem público;

l  Defender e reforçar serviços públicos e as funções sociais do Estado;

l  Garantir o direito à habitação digna, com o aumento de habitação pública, estabilidade e regulação dos preços de arrendamento, combate à especulação;

l  Avançar no direito à mobilidade, criando uma rede de transportes no Alto Minho. Revogação das portagens na A28, e tantas outras linhas prioritárias.

Nada melhor para terminar este artigo, tal como comecei socorrendo-me da obra de Álvaro Cunhal “A perspetiva histórica de um partido afere-se pelo que fez, pelo que faz e pelo que mostra estar em condições de fazer. Afere-se pela ligação do seu ideal, dos seus objetivos, da sua ação à classe ou classes às quais historicamente o futuro pertence. Neste duplo aspeto se afere e revela a perspetiva do PCP e se fundamenta a sua profunda e inabalável confiança no futuro.”