O p.p. dia 10 de maio foi para mim não do “dia do Senhor” (era domingo), mas antes o dia do Espanto dramático e da Abominação repelente! Porquê? — perguntarás tu, prezado Leitor. Eu justifico: a inocente e desde havia dias desaparecida Valentina, que trazia ansiosa e preocupada a Sociedade portuguesa, aparecera finalmente, mas oh! Horror! já transformada em cadáver, escondida e abandonada num eucaliptal das cercanias de Peniche! Dizia-se então ter sido barbaramente assassinada pelo pai…!

Horror hediondo! Um pai assassinar um filho, chamado por si à vida nove anos atrás!!! Execrando filicídio foi o título que me pareceu mais expressivo para encabeçar esta singela crónica sobre este horrendo gesto de fera, o qual, à semelhança de outros similares, dá mais uma achega ao sinistro provérbio “quanto mais conheço o ser humano mais gosto do meu cão”…! Também há “feras” na selva dos humanos…!

Esta trágica e criminosa ocorrência conseguiu mais uma vez sacudir e baralhar o meu esquema mental acerca dos significantes Bem, Mal, Liberdade, Responsabilidade, Paixão, Destino…! Até o sublime significante DEUS (creio, rezo, desabafo, peço luz…) cuja Essência misteriosa por vezes me parece tremular, até ELE me deixa sem respostas para as tragédias…!

Nestes meus monólogos interiores faço minhas as perguntas poéticas e interpeladoras do nosso Augusto Gil (1873-1929): — “Que quem já é pecador sofra tormentos, enfim… Mas as crianças, Senhor, por que lhes dais tanta dor?! Por que padecem assim…!?”

O meu computador-mental não abarca os motivos profundos pelos quais “agem” outros computadores-mentais, ao darem ordem de execução para crimes horrendos, cometidos por seres humanos que se transformam em carrascos ferozes, até de filhos inocentes a quem roubam cruelmente a vida…!

Foi o caso da Valentina! O meu louvor à Judiciária! Trabalho Digno!

Triunfe a Justiça dos homens! Talvez a Justiça Divina consiga transformar em ouro tanta lama nojenta de seres humanos…! O Bem vencerá o  Mal!!!