O mundo inteiro foi inesperadamente atingido, há meses, por uma espécie de terramoto, destruidor da saúde, economia, modus vivendi, equilíbrio emocional nas relações sociais…! O medo, as precauções, as fugas, as ansiedades, o sofrimento, o pânico coletivo, a desconfiança, o confinamento imposto, etc., trans­formaram este mundo num comprovado “vale de lágrimas” onde todos bóiam à porfia buscando praia de escape…!

Quem não vê para além do fenómeno físico-químico-mecanicista da vida explica o evento pandémico como produto natural de choques e reações entre os elementos, vivos e não vivos, da Natureza… Assim como há ondas, marés, maremotos, vulcões, sismos, cataclismos diversos, assim também, de vez em quando, surgem doenças novas, males desconhecidos, viroses, as mais inespe­radas e esquivas…)

Outras pessoas, porém – entre as quais eu me incluo – admitindo pela Crença que a máquina complexa do Orbe teve um Autor que a concebeu e dirige e repara segundo planos imprescrutáveis, não cedem ao desespero nem mergulham a cabeça na areia para abafar o fragor do Firacão…

Assim, sem desviarem os olhos dos males terríveis que a Pandemia causou em tantas pessoas inocentes, essas pessoas, alicerçadas na Crença, admitem que o Autor da dita Natureza não adormeceu frente à máquina nem é  insensível ao clamor de tanto pedido-de-auxílio…!

Pode o crente não compreender o porquê de tanta calamidade que vem avassalando o mundo! Mistérios para o pobre saber humano…! Contudo, consegue lobrigar, por entre a negrura da desgraça, uma nesga de radiações luminosas e belas, emanadas do amor-fraterno, da solidariedade generosa, do sacrifício heróico ao serviço do Próximo! Médicos, Enfermeiros, Auxiliares, Farmácias, Investiga­dores, Voluntários, todos incansáveis, compassivos, de mãos dadas, dando luta ao inimigo intruso…! Verdadeiras flores, nascidas no charco da catástrofe…!

Perante este contraste frente à Pandemia, não desanimemos! Confian­ça no arco-íris que surgirá como sinal da vitória do Bem frente ao Mal!

A moeda da calamidade tem duas faces! Fixemos a face luminosa!!!