No silêncio dum Lar, nos Arcos, Vila do Minho Sentado numa cadeira, triste, pensativo, Embora rodeado por um amor querido, Merecias uma velhice melhor, com mais carinho. Tiveste uma vida cheia, com muito sacrifício. Conheceste todo o Mundo, um Senhor Turismo. Trabalhaste como um mouro, ossos do ofício. Pagaram-te com um desprezo, puro egoísmo. Agora […]
Para ler a restante notícia, deverá ser assinante do Aurora do Lima. Subscreva uma das assinaturas para ter acesso às anteriores edições do Aurora do Lima. Faça Log in ou assina já.