A Iconoclastia, religiosa ou laical, traduz, em quem a defende ou pratica, uma aversão-doentia contra Imagens ou Estátuas, não por elas enquanto esculturas, mas sim pelo que elas simbolizam como presença representativa de Pessoas ou Ideologias, supostamente abomináveis…

Foi assim, desde há anos ou centenas deles, com as lutas iconoclastas-religiosas e volta a surgir, agora, numa espécie de pandemia-terrorista contra Estátuas e Símbolos da história-social, sempre evolutiva. Uma vaga ameaçadora ou selvajaria desenfreada parece querer varrer todo o mundo dito civilizado…!

Quem vê imagens da TV, ou escuta notícias radiofónicas, ou lê os periódicos, sabe que me assiste um certo fundamento para estas despretensiosas considerações de humilde cronista.

Após aturadas reflexões sérias, aliadas a evocações históricas, cheguei à conclusão de que tais ações iconoclastas são ditadas e quase impostas por sentimentos alimentados por labaredas de ódio-patológico contra Pessoas que, por ideal e vida, se orientaram por Valores ou Contra-Valores, conforme pontos de vista contraditórios. A partir daí, surgem lavas de vulcões-humanos, que tudo queimam, calcinam, destroem…! É pena! É lamentável! É desolador…!

Remédio!? – Mais saneamento-mental das Ideias… Melhor aceitação das Diferenças: em credos, ideologias, cores de pele, tradições, culturas, opiniões, opções e gostos…

Seja a HUMANIDADE uma Família constituída por todos os Cidadãos, onde não sejam ocas de significado as luminosas-estrelas: Liberdade,  Igualdade, Fraternidade, devidamente compreendidas e expressas…

Haja mais Amor e menos Ódio!! Tanto bastará para haver PAZ!!!