Ao perfazer o 61º Aniversário do falecimento de minha mãe, que partiu muito jovem, deixando-me na fase da adolescência, mas que continuou e continua nas vias do etéreo a acompanhar-me, bem como aos que me rodeiam e apoiam, venho, por este meio, prestar-lhe a minha sentida homenagem.

Tu ainda eras tão nova, que tristeza!
Partiste e abandonaste a vida.
Mas fica sabendo e tem a certeza
– Perdurará saudade enternecida…

Saudade que não acaba, antes dura
Pelo correr da vida desprendida.
À tua alma rezo com ventura,
Com toda a fé do meu coração sentido!

Disseste adeus ao mundo… querida mãe,
Deixaste-me desamparado e só,
Sózinho no mundo – era o destino!

Fiz-te sofrer, pois a vida foi-te dura!
Ficará a nostalgia que perdura…
Jamais esquecerei meu desatino!

Maio de 2019