Quem não se lembra de passar na Rua Manuel Espregueira e ver o prédio onde se alojava, e aloja, o Sport Clube Vianense. Tudo iluminado, em dia de anos ou noutras ocasiões?

Agora, passa-se por ali e nem sombras do outrora!.. Havia a Sede a funcionar, onde os sócios passavam algumas horas, ora tomando a sua bica, ora jogando o bilhar, ou ainda folheando livros que a biblioteca tinha à nossa disposição. Tudo se apagou no tempo. Agora não há movimento na Sede. Os tempos são outros, bem se sabe. As nossas aldeias, quase todas têm uma equipa de futebol, daí o tirarem assistência e movimento ao estádio Dr. José de Matos, originando quebra na receita dos jogos.

As ajudas são poucas ou quase nenhumas. Tomara o comércio local poder contribuir para o bom funcionamento do clube, creio. Mas o movimento nas lojas é quase insuficiente para poder resistir.

Que saudades de vermos o Vianense jogar regularmente com grande clubes, como o Braga, o Riopele ou, para a taça de Portugal, entre outros, com o Benfica e o Belenenses; de apreciarmos as boas qualidades técnicas de magníficos jogadores, com qualquer enquadramento na equipa.

Não acompanho a realização dos jogos do Vianense, já que deixei de ver, como antes, cartazes públicos a informar os associados do dia e hora em que se joga. E é pena. Já agora, perguntando, por que não está na varanda, como sempre esteve, o emblema do Sport Clube Vianense? Estando lá, sempre concluiremos que o SCV existe e existirá por muito mais tempo

 

Otelo Sousa