Levar-nos-ia muito longe a dissertação profunda acerca de “Mal” e “Bem”…! Que vocábulos são estes? Quais os seus significados antónimos? Quando, onde, como, apareceram pela primeira vez? Existem em todas as Línguas, Etnias, Civilizações? Que fronteiras limitam o reino do Bem e o reino do Mal? Como concretizar estas duas ideias abstratas? O que é o Bem? O que é o Mal?

Vês, prezado Leitor, o que aí vai de perguntas cujas respostas se tornam dificílimas ou mesmo impossíveis…!? , no entanto, todos nós usamos aqueles dois vocábulos, quando falamos, lemos, ou escrevemos… O Bem, o Mal envolvem Tudo e Todos…!

Vamos então especular um pouco sobre esses dois nomes-substantivos. Todos nós, desde que nascemos e durante toda a vida, somos impelidos a movermo-nos entre estes dois polos_ buscar, praticar, defender o Bem e fugir, evitar, detestar o Mal…

Duas forças-motrizes nos impulsionam e retraem: o Bem e o Mal…! Na nossa conduta individual, social, moral, religiosa, política, económica, desportiva, profissional, educacional, etc., sentimo-nos acompanhados por estes dois “satélites”, que condicionam e muitas vezes perturbam o nosso giro comportamental… O Bem, o Mal, são como duas esferas sobre as quais rolando a vida e a Morte das Pessoas, e das Sociedades…

No íntimo mais profundo de cada Ser-Humano, soa, dia e noite, uma voz inabalável clamando: “Pratica o Bem! Evita o Mal!”…

Em nós e nos outros, o “Bem” cala mais fundo e com mais doçura do que o “Mal”. O primeiro é Luz, Calor, Beleza, enquanto que o segundo sugere apenas Noite, Frio, Fealdade!…!
Mas, infelizmente, o pior é quando se baralham, nas mentes, os significados de “Bem” e de “Mal”, a ponto de ficarem antónimos extraviados, descaracterizados, confusos, feitos algo e o seu contrário, ao sabor de modas, conveniências, paixões… Transforma-se num caos entre Bem e Mal…!
Resultado dessa enorme confusão: Só Mal, só Bem, Quem isso tem…!?
Nem Santos, nem Heróis, Ninguém…! Um “deus” para cada…!? Sei lá…!